A separação 'explosiva' entre Arnaud e Chico Anysio em 1976

Por Paulo César Gomes, Professor e pesquisador, colunista do Farol

A coluna ‘Viagem ao Passado’ de hoje relembra a explosiva ruptura da relação artística entre Chico Anísio e o serra-talhadense Arnaud Rodrigues. Acima o leitor acompanha as declarações dos dois ao jornal O Globo, em 1976. Nas falas é possível observar o tom mais ácido de Chico, enquanto Arnaud foi mais cauteloso.

Em determinado momento da entrevista, o cearense reclama da atitude de Rodrigues, que lançou um disco solo e aproveita para fazer uma comparação com as vendas dos LPs lançados pela dupla.

“Não estou usando o talento dele e nunca achei que ele estivesse usando o meu nome, mas o fato é que ele fez um disco sozinho e vendeu 6 mil cópias. Já o disco que gravamos juntos vendeu 120 mil. Não sei quem estava usando o talento ou prestígio do outro”.

Veja também:   Vizinhos amarram homem que ameaçou familiares em ST

Chico Anísio ainda declara que Arnaud o teria chamado de “gigolô do talento dele”.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

“Arnaud, se sentia tolhido por mim, cerceado, escondido. E queixava-se muito disso. Andou dizendo que eu era o gigolô do talento dele. Queria fazer ‘show’ sozinho. Já achou que eu criaria obstáculos. Quando, na verdade, eu até tentei vender estes ‘shows’. Fato que Sioma Gimpel e Dorinha Duval podem confirmar. Na verdade, eu até entendo a posição dele. Arnaud se acha capaz de fazer o que eu faço. E ainda melhor. E queria uma oportunidade para provar. Então, é melhor mesmo ele se afastar de mim, porque eu não tenho nada a provar. Quinze anos antes dele aparecer, eu já existia. Eu fui o cara que o tirou de um salário Cr$ 400 por mês e o  ajudou a chegar a um salário de Cr$ 45 mil.”

Veja também:   Namorado mantém adolescente em cárcere privado por 24hs

Arnaud Rodrigues foi mais contido e evitou jogar lenha na fogueira. “Eu prefiro não falar nisso porque, na verdade, não houve uma briga, nem mesmo motivo para a separação. Durante dez anos, fomos enchendo o copo e a gota que o fez transbordar é insignificante. Além disso, eu sou a parte mais fraca, é melhor ficar calado. Por que você não fala com o Chico?”

DECISÃO IRREVOGÁVEL

A separação 'explosiva' entre Arnaud e Chico Anysio em 1976

O jornal destaca que para Chico, a decisão era irrevogável. “Com ele eu não gravo mais. Tenho o maior respeito pelo talento de Arnaud. E acho que está passando por um momento de afirmação. Aí o dispensei para que siga a vida dele, nos rumos que sejam os melhores. Mas mesmo dispensando sua colaboração no meu programa, tentei de todos os modos que a TV Globo não rescindisse seu contrato. Borjalo e Mário Lúcio Vaz sabem disso. Não tenho culpa se ninguém se interessa por seu trabalho aqui na Globo”.

Veja também:   Mãe reclama de calor e merenda ruim em escola de ST

O contrato de Arnaud terminou no final de março daquele ano, mas ele foi desligado da emissora antes do fim do contrato. No entanto, o artista serra-talhadense não ficou desempregado e dias depois anunciou em entrevista à revista Contigo que estava indo para a extinta TV Tupi de São Paulo.

Na ocasião ele deu a seguinte declaração: “Estou a fim de continuar minha carreira. Vou cuidar dela direitinho e mostrar todo o meu valor e talento”. Na próxima publicação da coluna você irá saber como foi a reconciliação entre Chico Anísio e Arnaud Rodrigues.