Da assessoria

Afogados da Ingazeira viveu um momento histórico nessa quinta-feira (2), a prefeitura encerrou as atividades do lixão. Toda a área foi cercada, foram instaladas placas informando do fechamento, e haverá um monitoramento via câmeras de segurança para impedir que clandestinos descartem lixo no local. A prefeitura contratou uma empresa especializada em recuperação de áreas degradas para iniciar a recuperação ambiental da área onde ficava o antigo lixão.

A partir dessa quinta-feira (2), o lixo produzido em Afogados será levado para a estação de transbordo em Iguaracy. Além disso, a prefeitura criou um auxílio mensal de R$ 800 reais para cada catador que atuava no lixão. Um total de 17 catadores, que atuarão auxiliando a prefeitura na limpeza urbana da cidade. Todo o material reciclado que eles coletarem poderá ser comercializado por eles. A prefeitura irá também garantir fardamento adequado e equipamentos de proteção individual.

Veja também:   Marília recebe apoio de Totonho Valadares

VEJA ENTREVISTA DO PREFEITO NA TV FAROL

Outra mudança que haverá com o fechamento do lixão será na coleta domiciliar. Por conta do horário de fechamento da estação de transbordo, às 17h, a coleta em Afogados não será mais no início da noite, como é atualmente em algumas áreas da cidade. A população pode ficar tranquila, pois as mudanças só ocorrerão a partir da próxima semana, e será amplamente divulgada através dos blogs, redes sociais e emissoras de rádios.

Outra iniciativa importante da Prefeitura foi a aprovação de uma lei que endurece a punição para pessoas ou empresas que descartarem de forma irregular o seu lixo em áreas públicas, com multas que podem chegar a até R$ 5 mil reais. Haverá também uma nova metodologia para a questão dos terrenos baldios.

Veja também:   Tentativa de assalto termina com um preso e outro ferido no Pajeú

“O fim do lixão em Afogados é um desejo muito antigo de toda a população. Uma conquista da cidadania que eu tenho a felicidade de poder implantar. E estamos fazendo isso sem deixar ninguém para trás, garantindo uma renda mensal para quem vivia do lixão. E vamos também fazer a recuperação ambiental daquela área, garantindo mais qualidade de vida para quem mora no seu entorno,” avaliou o prefeito Alessandro Palmeira.