Fotos: Farol de Notícias/Celso Garcia

Publicado às 13h19 desta sexta-feira(25)

Já pensou ser empreendedora há mais de 20 anos, sem ficar parada e ter que passar 2 anos sem trabalhar? Se passasse por essa situação o que faria? Resistiria às dificuldades e voltaria a empreender? Ser resistência é possível, cada um resiste como pode e Antônia Lopes, 61 anos, moradora do bairro Bom Jesus é resistência. Após os dois anos de pandemia em casa, prezando pela saúde, ela retomou as vendas espetinho no Beco da Caixa, em Serra Talhada, e foi bem recebida, apesar das dificuldades oriundas do aumento dos produtos.

Ela vende espetinho de boi e frango, água mineral, café, refrigerante e doses de bebidas quentes no Beco da Caixa há 14 anos, mas por obediência às medidas sanitárias, pela saúde dela e da família decidiu ficar em casa, mesmo seu seguimento sendo serviço essencial e após a liberação do comércio em geral. Graças a sua prudência, nem ela, nem a família contraiu o vírus. Dona Antônia retomou as vendas somente após está devidamente vacinada com todas as doses do imunizante da Covid-19.

”No período da pandemia, parei de trabalhar, respeitando os decretos porque o pessoal pediu para a gente sair daqui e só agora eu retornei. Ficamos assustados com o vírus, eu sou de risco meu esposo também que tem 65 anos e, também tem pressão alta. Agora, depois da vacina, já estou vacinada, tomei as 3 doses e a da gripe. Graças a Deus, lá em casa todo mundo tomou a vacina e pude voltar para trabalhar”, disse Antônia, acrescentando:

”Durante os dois anos que passei em casa, esse tempo todo sem trabalhar, coloquei uma plaquinha em casa e comecei vendendo tapioca aos meus vizinhos e continuo vendendo em casa. Fico aqui com meu espetinho  das 7h até 13h e quando volto para casa vendo minhas tapiocas. Graças a Deus voltei com meus espetinhos e fui muito bem recebida pelos meus amigos aqui do beco, das lojas, pelos meus clientes, por todos.”

Veja também:   Confira a previsão para todos os signos hoje (12/05)

Apesar de ter sido bem recebida de volta, as vendas estão muito fracas, se comparadas ao período que antecedeu a pandemia. Segundo Dona Antônia, o movimento caiu bastante devido ao preço de tudo ter aumento e as pessoas estarem passando por dificuldades financeiras. Antes da pandemia, o espeto custava R$ 2 reais, agora subiu para R$ 4, ou seja, o dobro.

”Antes da pandemia, durante esses 14 anos, sempre mantive o espetinho tranquila, boas vendas, mas depois que voltei estou sentindo uma certa dificuldade por causa do preço das coisas. Com esses aumentos, o dinheiro do povo diminuiu bastante também, muita gente tem fome, tem vontade de comer, mas não tem o dinheiro para comprar. Mas, vou continuar no meu ramo porque resisto há muito tempo e por conta da minha idade é mais difícil partir para outra coisa e espeto é mais fácil”, afirmou a empreendedora.

A trajetória de empreendedora de Dona Antônia no Beco da Caixa vai além desses 14 anos. Antes de inciar a venda de espetinho, ela já vendia balas e manteve sua carrocinha de balas durante mais de 8 anos, ou seja, são mais de 20 oferecendo guloseimas às pessoas que enfrentam o drama das filas dos bancos e consumidores que transitam no local.