Pessival contra-ataca e tece críticas ao PSLPublicado às 13h40 desta terça (23)

Após conceder entrevista ao programa Frequência Democrática, na rádio Vilabela FM, nessa segunda (22), o ex-vereador Pessival Gomes foi desautorizado pela executiva estadual do PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, a falar como presidente da legenda em Serra Talhada.

“Com mentira não, senhor Pessival Gomes. O senhor pode apoiar quem o senhor quiser, mas não use o nome do partido para aparecer, porque o senhor não faz mais parte deste partido desde o dia 30 de abril de 2017”, garantiu Edu Cabral, 1º secretário do PSL em Pernambuco, em mensagem enviada ao Frequência por WhatsApp.

Veja também:   IF Sertão abre matrículas de vagas remanescentes

“Este senhor não faz parte do PSL por falta de prestação de contas. Quero dizer ao povo de Serra Talhada que ir para a rádio para mentir é feio demais. Então, senhor, aja com a verdade. Não minta para o nosso povo, não”, sentenciou Cabral.

CONTRA-ATAQUE

Ao saber que foi acusado de ‘mentiroso’, Pessival entrou em contato com a produção do programa para rebater. Segundo ele, em momento algum lhe foi enviado qualquer comunicado oficial do PSL informando sobre sua desfiliação e destituição da presidência da legenda.

Veja também:   Macau ordena testes de Covid-19 a todos os habitantes após 16 meses sem casos

“Diante disso, mentiroso é ele (Edu Cabral)! Em nenhum momento recebi comunicado oficial do partido sobre minha saída. Estou sabendo disso agora e estou aliviado. Fui para a rádio pensando que eu era o presidente justamente porque ninguém havia informado que havia sido expulso, porque não recebi nada. Então o mentiroso é ele”, disparou Gomes.

Pessival também reforçou que já estava com as contas do partido ‘fechadas’ e que irá protocolar tudo junto à Justiça Eleitoral ainda esta semana.

FIQUE POR DENTRO

Veja também:   Mulher aciona a polícia contra marido

Nessa segunda-feira (22), Pessival Gomes, na rádio Vilabela FM, anunciou voto no PT, mesmo alegando ser o presidente do PSL na cidade. O fato gerou polêmica nas redes sociais e provocou o posicionamento da executiva estadual do partido [veja aqui].

SAIBA MAIS

Presidente do PSL, em Serra Talhada, anuncia voto no PT