Do g1

Um homem armado com arco e flecha matou cinco pessoas e feriu outras duas nesta quarta-feira (13) em Kongsberg, no sudeste da Noruega, antes de ser detido, informou a polícia, que não descartou uma motivação terrorista para o ato.

“Lamentavelmente, podemos confirmar que há vários feridos e também, desgraçadamente, vários mortos”, disse Øyvind Aas, funcionário da polícia local, em coletiva de imprensa.

Os dois feridos foram hospitalizados em unidades de cuidados intensivos, mas, segundo Aas, nada indica que suas vidas estejam em perigo. Um deles era um policial que estava de folga e se encontrava em um dos diversos lugares atacados.

Um suspeito foi detido. “Segundo as informações que temos até o momento, há apenas uma pessoa envolvida nesses atos”, acrescentou Aas, que também esclareceu que as motivações do ataque são desconhecidas.

“Ao ver como os fatos se desenvolveram, é natural considerar que se tratou de um ataque terrorista”, disse Øyvind Aas em uma coletiva de imprensa posterior.

“O homem detido ainda não foi interrogado e é cedo para falar sobre os motivos do ataque”, acrescentou, ao detalhar que os investigadores “mantêm todas as hipóteses em aberto”.

– Não há procura por outro suspeito –

O Serviço de Inteligência Nacional (NIS, na sigla em inglês) foi alertado, informou um porta-voz à AFP. “Por enquanto, são só suposições”, declarou o funcionário, Martin Bernsen, sobre a eventualidade de um ataque terrorista.

A polícia não deu detalhes sobre o suspeito, exceto que se trata de um homem e que foi levado para a delegacia da cidade vizinha de Drammen. Também não confirmou nem desmentiu que ele era monitorado pelas forças de segurança e acrescentou que não está à procura de outro suspeito.

“Esses fatos nos comovem”, declarou a primeira-ministra Erna Solberg, em seu último dia no cargo. Amanhã (14), ela cederá seu posto ao trabalhista Jonas Gahr Støre, vencedor das eleições legislativas de 13 de setembro.

Informada às 18h13 locais (13h13 em Brasília), a polícia capturou o suspeito às 18h47. Na pequena cidade de aproximadamente 25.000 habitantes, situada a pouco menos de 80 quilômetros de Oslo, o acesso aos locais do ataque foi bloqueado por um cordão policial e agentes, conforme constatou um correspondente da AFP.