Avós da Praça de Maio encontram o neto 133, sequestrado pela ditadura

Foto: Luis Robayo/AFP

Por Folha de Pernambuco

A organização Avós da Praça de Maio encontrou o neto 133, que foi apropriado durante a ditadura militar, e é sobrinho de Mario Santucho, líder fundador da organização guerrilheira PRT-ERP, cuja mãe, Cristina Navajas, foi sequestrada em 1976 e permanece desaparecida.

O anúncio da descoberta foi feito nesta sexta-feira (28) pela organização humanitária em uma coletiva de imprensa, na qual esteve presente Miguel Santucho, um dos três filhos de Navajas e Julio César Santucho. Miguel há anos buscava seu irmão.

“Essa busca não pode ser sustentada sem o apoio de todos. Sempre tive vários braços me sustentando. Isso foi muito importante. Meu pensamento hoje está com meus irmãos e irmãs que ainda estão procurando. Desejo a todos que experimentem o que estou sentindo agora”, disse Miguel Santucho.

Veja também:   PF desarticula quadrilha no Sertão do Pajeú

“Tenho sobrinhos novos. A família aumentou com pelo menos três pessoas: um irmão e dois sobrinhos”, comemorou.

O neto recuperado se reencontrou com sua família ainda nesta sexta-feira (28), pouco antes da coletiva de imprensa, da qual não participou. Anteriormente, os irmãos já haviam se conhecido por uma chamada de vídeo.

“Ele expressou o desejo de nos conhecer. Estava feliz e surpreso. Levará tempo para ele assimilar a magnitude do que encontrou”, disse Miguel Santucho.

“Não posso deixar de dizer que ele é lindo, é um garoto lindo. Nós o conhecemos hoje e ele sabe o que o espera. Sinto que encontrei um ser iluminado. O abraço que trocamos será para sempre”, acrescentou.

“Vitória da democracia”
A pessoa encontrada é um homem que se aproximou de maneira espontânea das Avós da Praça de Maio. Foi apropriado por um casal formado por um militar e uma enfermeira que já tinha uma filha 20 anos mais velha, indicaram as Avós.

Veja também:   Confira a previsão de hoje (21/11) para seu signo

Há quase cinco anos, a filha desse casal revelou que eles não eram os seus verdadeiros pais. As Avós não deram detalhes sobre onde o neto recuperado vive atualmente, nem se os apropriadores seguem vivos.

A descoberta do neto 133 ocorre depois da morte, em 2012, de sua avó Nélida Gómez de Navajas, que foi secretária da organização.

“É uma vitória da democracia e uma derrota da ditadura, porque eles queriam tirar os nossos filhos e estamos recuperando eles”, declarou seu pai Julio César Santucho, também presente na coletiva de imprensa.

Veja também:   Afogados abre centro de telemedicina

Cristina Navajas, militante do PRT-ERP, foi sequestrada quando estava grávida de dois meses, em 13 de julho de 1976, ao lado de sua cunhada Manuela Santucho e Alicia Raquel D’Ambra.

O PRT-ERP foi uma organização guerrilheira de orientação trotskista que atuou durante a mesma época que os peronistas do Motoneros.

Mario Santucho morreu em 1976, em um confronto quando um grupo militar cercou o domicílio no qual se encontrava junto de outros líderes do PRT-ERP. A ditadura desapareceu com os seus restos mortais.

A ditadura argentina (1976-1983) causou aproximadamente 30.000 desaparecidos, segundo os organismos de direitos humanos. As Avós da Praça de Maio seguem buscando ainda 300 netos nascidos durante o tempo em que suas mães foram mantidas em cativeiro.