Brasil consegue empate, mas sofre gol no final e perde para a França

Foto: Thaís Magalhães/CBF

Por Folha de Pernambuco

O Brasil entrou em campo neste sábado (29) para enfrentar a França pela segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo Feminina. E, se no primeiro jogo, o domínio brasileiro foi o ponto principal na goleada sobre o Panamá, desta vez, aconteceu justamente o contrário.

As francesas abriram o placar com Le Sommer, no primeiro tempo. Na segunda etapa, as brasileiras chegaram ao empate com Debinha, mas viram as adversárias retomarem a vantagem novamente, desta vez com Renard, e foram derrotadas por 2 a 1.

O resultado pode embolar o Grupo F, já que agora o Brasil possui três pontos, na segunda colocação do grupo, atrás apenas da França, que chegou a quatro pontos com a vitória. No entanto, a Jamaica, que enfrenta o Panamá neste sábado, logo mais, às 9h30, pode jogar a seleção brasileira para a terceira posição se vencer seu jogo, já que também alcançaria os quatro pontos.

O próximo compromisso do Brasil na Copa do Mundo será justamente diante da Jamaica, na próxima quarta-feira (02/06), às 7h. O jogo deve ser decisivo para a classificação da Seleção Brasileira para as oitavas de final e a vitória é importantíssima.

O jogo

A partida começou com pressão francesa. Enquanto as brasileiras preferiam esperar mais um pouco, estudando a França, as adversárias avançavam bem para a área, aproveitando os erros do Brasil no meio de campo.

Veja também:   Governo de PE suspende férias de policiais até o fim do ano devido à redução de PMs nas ruas

Aos quatro minutos do primeiro tempo, conseguiram chegar bem pelos lados e, quando a bola sobrou no meio da lua, Sandie Toletti chegou batendo, mas o chute saiu fraco e a bola parou nas mãos da goleira Letícia, sem dificuldades.

Aos 12 minutos, veio o primeiro perigo real. Após mais um erro na saída de bola do Brasil, a referência do ataque do time francês, Le Sommer, recebeu um belo lançamento, esbarrou na zaga brasileira e fez o toque de lado. O passe foi para Dali, que limpou a marcação e fez o cruzamento na área, de volta para Le Sommer, que cabeceou para o gol e a goleira Letícia precisou se esticar toda para evitar o gol com uma linda defesa.

O que antes era perigo, aos 16 minutos, virou realidade. Após cruzamento de Karchaoui para  a grande área, Diani escorou de cabeça para Le Sommer, que, com uma cabeçada, dessa vez letal, superou a goleira Letícia e abriu o placar para a França. Com o gol, a camisa 9 francesa chegou a 90 bolas na rede pela seleção, artilheira isolada no país.
O Brasil teve sua melhor chance apenas aos 22 minutos. Após Debinha recuperar bola ainda na defesa da França, e fazer o passe para o meio da área, Adriana, livre de marcação, chegou chutando, mas a bola saiu muito forte e foi pela linha de fundo. Apesar da grande oportunidade desperdiçada, a seleção brasileira parecia estar melhorando cada vez mais.

Veja também:   Samu Serra Talhada está em crise com ingerências políticas de má fé

Aos 31 minutos, no entanto, a estrela de Letícia precisou brilhar novamente. Debinha errou na saída de bola, a bola sobrou para Geyoro, que achou Diani livre na área. A francesa chutou e a goleira brasileira, mais uma vez, operou um milagre para evitar o gol. Logo depois, a juíza apontou impedimento na jogada, mas, ainda assim, o desconforto do Brasil era claro.

O domínio francês continuou a partir daí, mas o placar seguiu em 1 a 0 até o fim do primeiro tempo.

Intervalo

O segundo tempo começou com outra cara do Brasil. Se na primeira etapa as brasileiras erraram tanto, agora, a seleção parecia se encontrar em campo e, aos 13 minutos, após bela troca de passes, chegou ao gol. Ary Borges conseguiu arrancar um chute, que esbarrou na defesa da França e sobrou para a camisa 9 brasileira, Debinha, que, livre de marcação, tirou da goleira e empatou a partida.Aos 20 minutos, a França levou perigo novamente. Após boa troca de passes, Geyoro recebeu a bola na entrada da área e tentou colocar a bola no ângulo, mas Letícia, segura, fez boa defesa.

Veja também:   Política em Serra Talhada é de baixo nível e subordinação

O jogo prosseguiu bastante acirrado, mas, aos 37 minutos do segundo tempo, a França chegou ao gol novamente. A zagueira Renard, referência do time  e que era dúvida para a partida, aproveitou cruzamento em escanteio, se movimentou sozinha na área, sem marcação, e marcou de cabeça para pôr a seleção francesa à frente do placar novamente e chegar à sua 35° bola na rede pelo time.

A partida seguiu com pressão de ambos lados, mas o resultado não mudou, e o Brasil foi derrotado por 2 a 1 para a França.

FICHA DO JOGO

Brasil 1

Letícia; Antônia, Lauren, Rafaelle e Tamires; Luana, Ary Borges (Ana Vitória), Adriana (Bia Zaneratto) e Kerolin; Debinha (Marta) e Geyse (Andressa Alves). Técnica: Pia Sundhage

França 2

Peyraud-Magnin; Lakrar, Renard, Karchaoui e Perisset; Geyoro, Toletti e Dali (La Garrec); Diani, Le Sommer (Becho) e Bacha. Técnico: Hervé Renard.

Local: Brisbane (Brisbane/AUS)
Árbitro: Kate Jacewicz (AUS). Assistentes: Kyoungmin Kim (COR) e Joanna Chakratis (AUS)
Gols: Debinha (Brasil) | Le Sommer e Rebatd (França)
Cartões amarelos: Luana (Brasil) | Dali, Toletti, Karchaoui  (França)