Balanço das cidades mais violentas de PE

Do Diario de PE / Foto: Sandy James

Se você está procurando um bairro ou cidade pra morar ou abrir um negócio por exemplo, é bom se ligar nesses dados. Na Região Metropolitana do Recife (RMR) em 2023 já foram registrados mais ou menos mil tiroteios em 2023. Os dados divulgados são recentes e foram apresentados nesta terça(1) pelo Instituto Fogo Cruzado, que monitora casos de violência em todo o país. De acordo com o instituto, em 97 % desses casos, pessoas foram mortas ou ficaram feridas. O estudo é feito a através da população e da imprensa.
Mal chegamos na metade do ano e os 1.000 já resultaram na morte de 812 pessoas e, 328 pessoas foram feridas à bala, somando ao todo 1.140 pessoas baleadas. Os números foram divulgados um dia após a divulgação do novo plano de segurança estadual, afim de reduzir os índices de violência no Estado
Em 2022, o estado teve 37,8 mortes violentas por 100 mil habitantes, enquanto a taxa média nacional foi de 23,4 mortes, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em julho.
O Recife lidera como a cidade que teve o maior índice de tiroteios na grande Recife, com 38 % total dos registros.
Os cinco municípios mais afetados pela violência armada foram:
Recife: 378 tiroteios (286 mortos e 136 feridos);
Jaboatão dos Guararapes: 197 tiroteios (172 mortos e 61 feridos);
Olinda: 109 tiroteios (86 mortos e 30 feridos);
Cabo de Santo Agostinho: 63 tiroteios (56 mortos e 24 feridos);
Paulista: 44 tiroteios (36 mortos e 8 feridos).
O Recife é a cidade com o maior número de tiroreios, no entanto, Jaboatão dos Guararapes aparece na lista do Fogo Cruzado com os três bairros em que ocorreram mais trocas de tiros em 2023. Os outros dois bairros que completam a lista estão no Recife. São eles:
Muribeca (Jaboatão dos Guararapes): 27;
Barra de Jangada (Jaboatão dos Guararapes): 25;
Prazeres (Jaboatão dos Guararapes): 23;
Várzea (Recife): 19;
Iputinga (Recife): 10.
Homens negros são principais vítimas
Entre os 1.140 baleados no período, 504 foram identificados com informações sobre cor e raça. Desses, 365 eram negros e 139 eram brancos.
Em relação ao gênero, 1.028 pessoas atingidas por arma de fogo eram homens, enquanto 106 eram mulheres.
Entre os homens baleados, 753 morreram e 275 ficaram feridos. Já entre as mulheres, 58 morreram e 48 ficaram feridas. Três delas foram vítimas de feminicídio, e outras quatro sofreram tentativa.
Idade dos baleados:
Crianças: 5 (duas mortas e duas feridas);
Adolescentes: 51 (34 mortos e 17 feridos);
Adultos: 1.050 (752 mortos e 298 feridos);
Idosos: 09 (seis mortos e dois feridos);
Idade não informada: 34 (27 mortos e sete feridos).
Casos recentes
Uma dupla de criminosos matou um homem e uma mulher com tiros de fuzil na tarde do dia 17 de julho em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Os criminosos atiraram contra um carro e mataram um ex-policial militar que, segundo a polícia, era alvo dos criminosos
A segunda vítima do tiroteio foi uma mulher de 54 anos que trabalhava num prédio empresarial na mesma rua em que foi morta. Ela estava caminhando na calçada em direção a uma padaria quando foi atingida pelos disparos.
No fim da manhã do dia 25 de julho, um assaltante e um vigilante morreram após tiroteio durante ‘arrastão’ para roubar armas de vigilantes em vários bairros entre o Centro e a Zona Norte do Recife.
O tiroteio aconteceu em frente à sede do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs), no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife. O assaltante morreu no local e o segurança chegou a ser encaminhado ao Hospital, mas não resistiu aos ferimentos.
Veja também:   Moradores relatam abandono em ST após enchente