Barragem de contenção do Abatedouro de ST transborda

Foto cedida ao Farol

Há o perigo iminente de um desastre ambiental no entorno do Abatedouro de Serra Talhada, localizado na comunidade de Saco da Roça. A afirmação é do agricultor Luis Pedro Sobrinho, 68 anos, popularmente conhecido por ‘Luisinho’. Segundo ele, uma barragem de contenção do abatedouro transbordou e os rejeitos, inclusive com restos de sangue, caíram em sua propriedade. Preocupado, ele assegura que vai acionar o Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

“Eu tenho um sítio vizinho ao abatedouro; há um córrego que escorre para o meu sítio, onde há uma pequena barragem. Quando começaram a construir o abatedouro, eu fiquei preocupado, porém em conversa com o veredador Vandinho da Saúde, este me falou que podia ficar sossegado pois ali seria um empreendimento moderno. Tudo seria aproveitado, que nem uma gota de sangue poderia cair no chão. Fiquei tranquilo, porém na prática, não é assim. Poucos meses depois que entrou em funcionamento a barragem de contenção estava faltando menos de dois palmos para transbordar”, detalhou o agricultor, afirmando que a até a Barragem do Jazigo, que fica próximo ao local, pode sofrer danos.

Veja também:   Confira a previsão de hoje (01/12) para seu signo

“Aconteceu novamente um vazamento no mês de fevereiro. Falei novamente com Vandinho, que mais uma vez intercedeu e ouviu a justificativa de que um cano havia desconectado, porém isso não iria mais acontecer. Agora, o vazamento voltou mais forte; já formou um poço de água podre na minha propriedade. Resolvi denunciar no Farol, para posteriormente, o Ministério Público”, revelou Luis Pedro.

O OUTRO LADO

A reportagem do Farol conversou com André Soares, proprietário do abatedouro, que disse já ter dialogado com o agricultor, e providências estão sendo tomadas para resolver, de uma vez por todas, a questão do transbordo.

Veja também:   Lula e Maduro roqueiros em 1984? Entenda história que se espalhou nas redes

“Tive com o senhor Luis Pedro e foi até o local citado na reportagem. Essa água não é do tratamento do abatedouro não. Essa água é dos escritórios, uma vez que a encanação é toda externa. Estive ausente, alguns dias, porque adoeci, e encarreguei uma pessoa para ficar monitorando isso, é feito monitoramento diário. A pessoa se descuidou e algum animal bateu no cano que desce para caixa e desengatou, caindo nas terras do Seu Luis. Nesta segunda-feira faremos uma nova instalação, algo permanente, para evitar este problema. Estamos resolvendo isso”, assegurou Soares.

Veja também:   Surgem novas oportunidades de emprego em ST