Bombeiro de ST salva bebê em ação só pelo telefonePublicado às 14h06 desta sexta-feira (18)

Uma história emocionante marcou a vida de uma família para sempre esta semana. Uma mãe chorando desesperada acionou o 193 do Corpo de Bombeiros em Serra Talhada e conseguiu evitar que sua filha de apenas 12 dias morresse por afogamento com o leite materno. Em entrevista ao Farol, Kelly Gabriela da Silva, de 29 anos (foto), contou que amamentava a pequena Yasmin Valentina da Silva quando a bebê engasgou e praticamente parou de respirar. O caso ocorreu na última terça-feira (15), por volta das 17h.

“Eu estava amamentando, aí ela arrotou e depois eu coloquei ela para dormir depois de meia hora. Mas eu percebi que ela estava abrindo a boca como se quisesse vomitar. Logo depois ela começou a engasgar e a ficar toda roxinha, as mãos começaram a ficar roxas, e eu entrei em desespero. Então, liguei para o 193 que cai aí em Serra Talhada e foi quando o bombeiro Kelson me atendeu e me ouviu chorando desesperada, eu dizendo que minha bebê não estava conseguindo respirar”, relembrou.

Kelly Gabriela e o esposo Elenilson Bruno da Silva moram em Afogados da Ingazeira, a pouco mais de 80 km de Serra Talhada. Afogados, como outros municípios, fazem parte da regional de atendimento do Corpo de Bombeiros da capital do xaxado.

Veja também:   Senac vai construir Centro de Formação em ST

SALVAMENTO EMOCIONANTE

O 1º sargento George Kelson Pereira Bezerra, no Corpo de Bombeiros de Pernambuco há 12 anos, estava terminando um serviço no computador, prestes a ir embora, quando atendeu o telefone e ouviu o choro angustiante de Kelly. “Quando eu recebi a ligação, ela estava desesperada e não era pra menos. A filha dela de 12 dias estava engasgada com o leite materno”, contou.

“Então, comecei a passar as orientações, ela desesperada chorando, e eu tentando acalmá-la, e enquanto isso nossa equipe estava tentando entrar em contato com a guarnição dos bombeiros lá em Afogados”, relembrou o sargento, que passou por uma ‘prova de fogo’. Da parte dele, era preciso agir com rapidez e ao mesmo tempo frieza para tentar acalmar a mãe e ensiná-la a tirar a pequena Yasmin do sufoco.

“Foi quando me veio a ideia de ligar para ela por meio de chamada de vídeo de WhatsApp. Aí a mãe colocou o aparelho numa posição onde eu pudesse mostrar como era a forma correta de fazer a manobra para salvar a bebê. E então a criança respirou e chorou. Mas a mãe estava tão aperreada que nem conseguiu ver que a criança tinha chorado. Foi quando a equipe dos bombeiros de Afogados chegou, muito rápido”, recordou o sargento Kelson.

Veja também:   ONU pede investigação internacional

Pelo WhatsApp, ele acompanhou Kelly e a pequena Yasmin até o hospital regional Emília Câmara, onde a criança foi internada com urgência, em Afogados da Ingazeira.

MINUTOS DE TERROR

Bombeiro de ST salva bebê em ação só pelo telefone
1º Sargento Kelson

“Foi uma questão de 10 a 13 minutos para os bombeiros chegar e, enquanto isso, o bombeiro Kelson me pedia calma a todo o momento”, relembrou Kelly, já agora aliviada e grata pela vida de sua filha. A mãe lembra que o sargento pedia para ela fazer movimentos nas costas da bebê, bem devagar.

“Foi quando minha filha conseguiu jogar um pouco do leite pra fora, tanto pela boca como pelo nariz, aí os bombeiros daqui chegaram e socorreram ela. Chegando no hospital, ela já foi direto para a linha vermelha, e o bombeiro Kelson a todo o tempo no telefone instruindo os bombeiros daqui também. Foi um momento pavoroso, graças ao bombeiro Kelson, que eu tenho muito agradecer, salvou a vida da minha filha”.

Veja também:   Mulher negra vence primárias democratas

AMIZADE PARA TODA VIDA

O salvamento da criança conseguiu construir um bonito laço de amizade entre George, Kelly e a pequena Yasmin. Hoje, os três, estão unidos por uma força maior, recheada por sentimentos de respeito e gratidão, que devem florescer para toda a vida. “Graças a Deus deu certo! Fizemos uma boa amizade. Eu tive a maior emoção da minha vida profissional, foi um momento de angústia e depois de alegria ao ver a Yasmim chorar”, disse o sargento, que compartilhou seu sentimento nas redes sociais.

George conta que é possível que nunca tenha ocorrido um salvamento como esse no Brasil, a partir do uso de uma chamada de vídeo pelo WhatsApp. “Se eu talvez não tivesse ligado para os Bombeiros, é possível que minha filha nem pudesse estar aqui mais, graças a Deus ocorreu tudo bem”, disse Kelly, sem conter a emoção. O Farol de Notícias parabeniza o Corpo de Bombeiros de Serra Talhada e o sargento George Kelson pela ação e deseja saúde e paz para a família da iluminada Yasmim. É isso aí!