Bombeiro de ST no Canadá detalha experiência e dificuldades

Trabalhando em uma das várias linhas de frentes de combate aos incêndios que vêm assolando o Canadá desde junho deste ano, o Sargento serra-talhadense e único pernambucano na missão internacional, George Kelson Pereira, conta um pouco do progresso das ações de salvamento e de como está lidando com sua nova realidade distante da família e do Brasil.

A missão brasileira de assistência humanitária da qual o Sargento faz parte é composta por integrantes do Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Justiça e Ministério da Integração e Desenvolvimento regiona

Bombeiro de ST no Canadá detalha experiência e dificuldades

l. Confira na íntegra a conversa com George Kelson.

ENTREVISTA BOMBEIRO GEORGE KELSON

Farol- Quantas áreas vocês já conseguiriam recuperar?

Sargento George- Nosso trabalho aqui no Canadá é um trabalho um pouco díspar ao qual realizamos aí no Brasil, nós monitoramos, realizamos montagem de linha de defesa e executamos o rescaldo de pontos quentes. Dessa forma conseguimos neutralizar a propagação do incêndio para uma área indígena, que poderia ocasionar um grande desastre.
Vale salientar que aqui no Canadá existem 3 tipos de incêndio e o que estamos combatendo é o incêndio subterrâneo, que no Brasil pouco existe.

Farol- Quantas pessoas conseguiram ajudar/ salvar?

Veja também:   PT e PSB têm mais convergências do que divergências

Sargento George- Nosso trabalho no momento é a prevenção, monitoramento de áreas de risco e rescaldo, como frisei anteriormente, de certa forma ajudamos a esses incêndios não atingirem terras indígenas e povoados próximos.

Bombeiro de ST no Canadá detalha experiência e dificuldades

Farol- Quantos dias vocês ainda vão passar aí?

Sargento George- Desembarcamos dia 21 de julho, tendo o retorno marcado para o dia 24 de Agosto. Caso não tenha alguma mudança dia 26 estarei de volta ao meu amado sertão.

Farol- Quais as principais dificuldades que você está enfrentado no país?

Veja também:   CDL diz que comércio não provoca Covid em ST

Sargento George- O povo canadense tem um apreço enorme por todos nós, muito solícitos, bastante atenciosos e tranquilos, porém 3 dificuldades eu as encontrei:
Primeira o frio, mesmo com todos esses incêndios, a temperatura chega a 5 graus. Outra dificuldade inicial foi com a culinária que que me foi estranho, porém já estou acostumado. E por último a língua inglesa, todavia sempre tem um tradutor de plantão e aos poucos vamos aprendendo o básico.

Bombeiro de ST no Canadá detalha experiência e dificuldades

Farol- Como está lidando com a saudade de casa?

Sargento George- Esse é a pior parte da viagem, já estou a mais de 20 dias distante de casa e a saudade da família só aumenta, porém todos os dias falo com o pessoal no Brasil e mato um pouco da saudade, mas não é fácil não

Farol- Qual sua principal motivação em continuar este trabalho?

Veja também:   Bandidos assaltam pedestre e motorista em ST

Sargento George- Todos os dias acordo com o sentimento de sempre querer ajudar esse povo que vem sofrendo com tamanho desastre e vejo no olhar dos canadenses que eles depositam uma grande esperança em todos nós e isso nos motiva mais e mais. outro fator motivacional é responsabilidade enorme que nos fora transmitida, pois estou representando minha cidade, serra talhada, o meu estado através do corpo de bombeiros Militar de Pernambuco e meu país, então essa motivação é intrínseca ao militar ele é motivado por grandes desafios e responsabilidades. Quero aproveitar o espaço e agradecer a todos os amigos e familiares que mandam mensagem de apoio, de carinho. Deus nos guie, nos abençoe e nos leve de volta para casa após o final dessa missão tão árdua e de grande responsabilidade.

Bombeiro de ST no Canadá detalha experiência e dificuldades