Do Terra

Na lista das melhores instituições de ensino superior do mundo, 35 são brasileiras. É o que mostra o “QS World University Ranking”, um dos principais levantamentos internacionais do setor, divulgado na 4ª feira (08.jun.2022). Em relação a 2021, mais 8 instituições ingressaram na lista. O Brasil tem o maior número de representantes entre os países da América Latina….

Em relação a 2021, mais 8 instituições ingressaram na lista. O Brasil tem o maior número de representantes entre os países da América Latina.

Ocupando o 115º lugar, a USP (Universidade de São Paulo) tem a melhor colocação e subiu 6 posições na comparação com a última edição do ranking.

A instituição paulista é seguida pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), na 210ª posição, e pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), na 333ª. A maioria das universidades brasileiras incluídas na lista são públicas, mas também há presença de particulares, como as PUCs (Pontifícias Universidades Católicas) do Rio de Janeiro e de São Paulo, além da Mackenzie.

O MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), dos Estados Unidos, continua sendo a melhor instituição de ensino superior do mundo. A Universidade de Cambridge, no Reino Unido, é a 2ª colocada, assumindo o lugar antes ocupado pela também britânica Universidade de Oxford.

O 3º lugar segue sendo da Universidade Stanford. Em sua 19ª edição, o QS World University Ranking avaliou mais de 2.400 universidades, de 100 países. A lista incluiu 1.422 instituições.

Citações científicas, proporção de professor por aluno, reputação acadêmica e entre empregadores e proporção de docentes estrangeiros são alguns dos critérios adotados para classificar as universidades. …

Leia a lista das instituições brasileiras abaixo:

115ª – USP (Universidade de São Paulo);
210ª – Unicamp (Universidade Estadual de Campinas);
333ª – UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro);
441ª – Unifesp (Universidade Federal de São Paulo);
477ª – Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho);
601ª a 650ª – PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio);
701ª-750ª – UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais);
751ª-800ª – UFRS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul);
801ª-1.000ª – PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo);
801ª-1.000ª – UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina);
801ª-1.000ª – UFSCar (Universidade Federal de São Carlos);
801ª-1.000ª – UFPR (Universidade Federal do Paraná);
801ª-1.000ª – UnB (Universidade de Brasília);
1.001ª-1.200ª – UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora);
1.001ª-1.200ª – UFPel (Universidade Federal de Pelotas);
1.001ª-1.200ª – UFPE (Universidade Federal de Pernambuco);
1.001ª-1.200ª – Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro);
1.201ª-1.400ª – PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas);
1.201ª-1.400ª – PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná);
1.201ª-1.400ª – PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul);
1.201ª-1.400ª – UEL (Universidade Estadual de Londrina);
1.201ª-1.400ª – UFF (Universidade Federal Fluminense);
1.201ª-1.400ª – UFBA (Universidade Federal da Bahia);
1.201ª-1.400ª – UFPB (Universidade Federal da Paraíba);
1.201ª-1.400ª – UFG (Universidade Federal de Goiás);
1.201ª-1.400ª – UFSM (Universidade Federal de Santa Maria);
1.201ª-1.400ª – UFU (Universidade Federal de Uberlândia);
1.201ª-1.400ª – UFV (Universidade Federal de Viçosa);
1.201ª-1.400ª – UFC (Universidade Federal do Ceará);
1.201ª-1.400ª – Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro);
1.201ª-1.400ª – UFPA (Universidade Federal do Pará);
1.201ª-1.400ª – UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte);
1.201ª-1.400ª – Universidade Presbiteriana Mackenzie (São Paulo);
1.201ª-1.400ª – Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina);
Acima de 1.401ª – PUC-Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais)

Veja também:   Menino de 9 anos morre ao ser atropelado por carreta