Candidato morre após passar mal em teste físico de concurso da PM

Do Metrópoles

O jovem Alone Petrus Leite, de 30 anos, morreu nesta quinta-feira (9/2), após passar mal durante o teste de aptidão física do concurso da Polícia Militar do Amapá (PM-AP). Ele era candidato a uma vaga de soldado na corporação.

Alone teria passado mal durante uma das etapas do teste, na quarta-feira (8/2), e foi socorrido em um hospital da capital Macapá.

O irmão de Alone, Adilson André, anunciou a morte do jovem em suas redes sociais. “É com o coração partido que comunico aos amigos o falecimento do meu irmão caçula”, escreveu.

Veja também:   Bia Haddad vence eslovaca e Brasil tem dia perfeito em Indian Wells

Veja:

Em nota, a Polícia Militar do Amapá lamentou a morte do candidato e informou que, quando ele passou mal na prova de corrida, foi acompanhado por equipe médica.

Veja a nota completa:
É com imenso pesar que a Polícia Militar do Amapá (PM/AP) lamenta a morte do candidato Alone Petrus Leite de Souza, nesta quinta-feira, 9, após passar mal durante a Avaliação de Capacidade Física (ACF).

A PM/AP informa que o candidato desmaiou durante a prova de corrida, na manhã de quarta-feira, 8, no primeiro dia da bateria dos testes. Ele teve suporte imediato de médicos e enfermeiros da PM e, já consciente, foi levado de ambulância para atendimento em um hospital privado da capital, conforme recomendação da família que foi prontamente acionada. Contudo, recebemos a informação que o aluno veio a falecer, durante atendimento na UTI do hospital.

Veja também:   Acordos contra corrupção e cartel de construtoras recuperam R$ 11,5 bilhões

A PM/AP reforça que todo o teste físico é acompanhado por equipe médica e ambulância para qualquer socorro de urgência, inclusive com a presença de militares capacitados para o salvamento aquático, nos casos das provas de natação.

Além disso, conforme exigido pelo edital do certame, o candidato apresentou o atestado médico comprovando condições para participar do teste físico, que avalia a capacidade de executar as atividades próprias da função militar.

Por fim, a Polícia Militar se solidariza à família do candidato que vivia a expectativa da realização de um sonho de integrar a corporação e reitera o pesar neste momento de dor.

Veja também:   Hospital da Restauração será reformado