O deputado estadual Sebastião Oliveira (PR), um dos líderes da oposição em Serra Talhada, cravou mais uma pérola nos anais da política serratalhadense. Avaliando a saúde no município durante entrevista a rádio A Voz do Sertão AM, na semana passada, ele ironizou o modelo de gestão que vem sendo executado pelo governo Duque (PT), afirmando que Serra Talhada é um dos municípios que mais recebem verba na região para atendimento na baixa e média complexidade.

“Mas o problema é que o sistema só funciona para os apadrinhados do governo. Em Serra Talhada não existe mais o SUS (Sistema Único de Saúde) agora é o SAS – Sistema de Apadrinhamento de Saúde. O atendimento básico no município anda muito mal das pernas”, avaliou Sebastião Oliveira, que é médico.

Durante a entrevista, ele voltou a penalizar a má administração na saúde básica pelas constantes superlotações registradas no Hospam, gerido pelo Governo do Estado. Por outro lado, a Secretaria Municipal de saúde (SMS) já deu sinais que está atenta para os ‘gargalos’ existentes na estrutura administativa e anunciou dezenas de vagas que serão criadas com a realização do novo concurso público em novembro.

Veja também:   Bolsonaristas querem fazer de ST 'capital da direita'