Da Metrópoles

Foto: Tetra Images/ Getty Images

Duas jornalistas mexicanas foram mortas, nesta segunda-feira (9/5), no estado de Veracruz, no leste do México. As mortes ocorrem três dias depois de outro profissional de mídia morrer espancado. As informações foram repassadas por usuários do Twitter e pela mídia local. Segundo jornais mexicanos e agências de notícias, o gabinete do procurador-geral do estado confirma as mortes e aponta o aumento do número de mortos.

Nesta segunda, foram assassinadas Yessenia Mollinedo e Sheila Garcia, no município de Cosoleacaque, informou a procuradoria no Twitter. A mídia local informou que homens armados, ainda não identificados, atiraram nas duas mulheres enquanto elas estavam sentadas em um carro.

O governador de Veracruz, Cuitláhuac García, usou suas redes sociais para afirmar que os culpados pelos assassinatos são procurados e que a Justiça será buscada. Disse ainda que Veracruz não vai tolerar essas agressões.

Violência

A violência contra os trabalhadores da mídia aumentou durante o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador. Segundo reportagem publicada em abril pelo Article 19, um grupo de defesa da liberdade de expressão, Lopez Obrador criticou a mídia em média seis vezes por mês em 2021.

No mês passado, López Obrador atacou os legisladores da União Europeia depois que eles aprovaram uma resolução pedindo que ele diminuísse a retórica contra os jornalistas.

Somente em 2021, um caso de violência contra a imprensa foi relatado em média a cada 14 horas – dois em cada cinco estavam ligados a funcionários do governo, segundo o Artigo 19.

Veja também:   Eclipse total deixa a lua vermelha; veja fotos do fenômeno