Duque diz que governo não está parado com relação as chuvasPublicado às 04h57 desta quarta-feira (28)

Após os estragos em diversas ruas e bairros de Serra Talhada provocados por 126 mm de chuvas que caíram na cidade, em apenas dois dias, o prefeito Luciano Duque emitiu uma nota em apoio às vítimas que tiveram suas casas e ruas inundadas.

De acordo com o gestor, o governo municipal está tomando todas as medidas para amenizar o impacto do período chuvoso.

NOTA PREFEITO LUCIANO DUQUE

Vivenciamos no último sábado (24) e nesta segunda-feira (26), fortes chuvas em Serra Talhada, com um volume de água atípico para a nossa cidade e região.

Inevitavelmente ocorreram danos em diversos pontos da cidade e, infelizmente, problemas históricos ainda se repetem. Mas, o nosso Governo não está parado, e desde que nos deparamos com outras situações semelhantes em anos anteriores, desenvolvemos um plano de ação que ajuda a resolver os problemas. A nossa equipe dispõe de um diagnóstico prévio dos principais locais onde ocorrem alagamentos, e as soluções já estão sendo providenciadas.

Veja também:   Após viajar 700 km até ST, Josemir reencontra mãe que não via há 26 anos

Ainda ontem à noite reunimos o secretariado e instalamos o Comitê de Crise, para monitorar as demandas e encaminhar as ações necessárias. Para facilitar o contato com a população, a nossa Ouvidoria Municipal e a Defesa Civil entraram em caráter de plantão permanente, prontos para atender as demandas enviadas para os dois órgãos.

Este é um assunto que merece a atenção de toda a população e a colaboração de todos aqueles que puderem ajudar, a começar por cada um de nós, cidadãos serra-talhadenses, que tomando os devidos cuidados já estaremos contribuindo para que alguns transtornos sejam evitados.

Veja também:   'ST não precisa de um padrinho', diz Dantas

Todos nós sabemos que problemas estruturais ocorridos no passado afetam a nossa cidade em tempos de chuvas intensas, e muitos deles são difíceis de serem resolvidos, seja por construções antigas e ruas que não possuem locais de escoamento de água, seja pela insuficiência de recursos para realizar intervenções de grande porte. E quando falamos da ausência de recursos, falamos de muitos milhões de reais que seriam necessários para intervir de forma efetiva nos pontos onde os alagamentos são mais volumosos.

Veja também:   Deputado garante ampliação da UAST em ST

Setores do Ipsep, Várzea, Mutirão, São Cristóvão e Centro da Cidade, requerem mais atenção e são locais onde as ações serão prioritárias.

Lamentavelmente não existem linhas de investimentos federais para sanar esse tipo de problema, e nós vamos fazendo o que é possível com os recursos oriundos dos impostos pagos pela própria população.

Toda a nossa equipe estará de plantão e a disposição para resolver todos os problemas que forem possíveis e, sobretudo, para atender a população que necessite de cuidados imediatos.

Contamos com a colaboração e a compreensão de todos.

Contem conosco!