Publicado às 15h30 deste sábado, 12

O Programa do Farol é todo sábado das 11h às 13h na TV FAROL no YOUTUBE

O prefeito Luciano Duque rebateu críticas de donos de bares e músicos que disseram que a Prefeitura preparou uma verdadeira “cilada” para as categorias ao dizer que música com voz e violão estava liberada dentro do novo decreto do governo de Pernambuco. Com isso, artistas que foram ao trabalho e empresários que abriram suas portas se depararam com a Polícia. Alguns foram conduzidos à Delegacia [veja aqui].

A medida determinada pelo Governo do Estado proíbe shows, festas e eventos de fim de ano [veja aqui]. Em entrevista neste sábado (12), Luciano Duque se justificou dizendo ao Programa do Farol, na TV FAROL no YouTube que a Prefeitura não preparou cilada alguma. “Não montamos cilada, temos responsabilidade com a situação”. Ele explicou a postura do governo municipal sobre a informação repassada, a qual teria causado toda essa confusão.

RESPOSTA EM 1 HORA e 31 MINUTOS DE VÍDEO; SÓ CLICAR E CONFERIR! 

DUQUE RESPONDE CRÍTICAS 

“Olha, a secretária [Executiva de Saúde Alessandra Novaes] se baseou em uma entrevista do secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado o Bruno Schwambach onde ele disse nessa entrevista que estava permitido voz e violão, agora, o que surpreendeu a todos é que o Ministério Público com a Polícia Militar foi com essa operação e proibiu, então isso é um assunto que precisa ser discutido, aprofundado, e não emocionalizado como como estão fazendo aí”, afirmou.

“PRECISAMOS DISCUTIR”

O prefeito propôs que as categorias de donos de bares e músicos se reúnam com a Prefeitura, o Ministério Público e a Polícia Militar para chegarem a um consenso. “Eu acho que tem que chamar o Ministério Público, Polícia, Prefeitura e discutir… Se o decreto permite voz e violão, que é o que estou sabendo que permite, então se permite voz e violão… Agora, uma coisa é permitir voz e violão e outra coisa é você chegar no bar, o bar não tem alvará, o bar não obedece o regramento do distanciamento entre mesas, o bar permite que as pessoas fique circulando sem máscara, ou seja, essas regrinhas básicas são necessárias para a convivência social”.

Veja também:   Márcia Conrado diz por que não está ao lado de Duque

BAR DE RICO

O prefeito rebateu os ataques de que a Prefeitura e os demais órgãos de fiscalização fecham os olhos para “bares de rico”. Luciano chegou a citar dois estabelecimentos no bairro da AABB respondendo a uma indagação de um dos sócios do Arena Pub, o empresário Rogério da Pitú.

“Eu não sei onde é esse bar de rico não. Rogério [da Pitú, do Arena Pub] quer politizar e eu não vou entrar nesse debate com ele não, se ele tá falando de bar de rico ele diga qual é o bar de rico, denuncie ao Ministério Público, garanto que o Ministério Público a mesma decisão que tomou lá [no Arena Pub] vai tomar no bar do rico, no bar do pobre, no bar do Vila Bela, no bar do Mutirão, a lei para todos, não vai escolher…”, disse Duque, complementando:

“Se ele [Rogério da Pitú] está dizendo que é [no bar] de Raimundo, ou em qualquer outro bar lá na AABB… Gente, não vamos emocionalizar o assunto não, eu acho mais sensato ao invés desse discurso a gente construir soluções, construir consensos, vamos chamar para mesa o promotor e com decreto do estado discutir, agora não venham dizer aqui está todo mundo certo porque não estava. As queixas e denúncias vinham chegando há muito tempo”.

DUQUE: “ROGÉRIO QUER POLEMIZAR, NÃO VOU ENTRAR NESSE DEBATE”