Em 1967, ataque fulminante de abelhas mata ex-prefeito de ST

Ex-prefeito Tutu Carvalho

Por Paulo César Gomes, Professor e pesquisador serra-talhadense, é colunista do Farol

A  ‘Viagem ao Passado’ destaca hoje uma tragédia que comoveu a cidade de Serra Talhada em 1967, quando em 12 de setembro daquele ano, uma ataque de abelhas africanas vitimou o ex-prefeito José Alves de Carvalho Barros, mais conhecido como Tutu Carvalho, e deixou o padre Jesus  Garcia em tratamento hospitalar, além de outras sete pessoas.

O ataque das abelhas ocorreu no antigo cemitério municipal, onde hoje está localizado o prédio do HEMOPE. Naquele dia, Tutu Carvalho, o padre Jesus, e um grupo de amigos visitavam o túmulo da esposa do ex-prefeito, quando foram surpreendidos com um ataque fulminante das abelhas.

Veja também:   Serra Talhada contabiliza 31 vítimas de acidente de trânsito em apenas cinco dias, informa Hospam

Segundo comentários dos populares, o padre Jesus sobreviveu graças à proteção da sua inseparável batina preta.  O ex-prefeito José Alves de Carvalho Barros era um fazendeiro oriundo de famílias tradicionais da cidade. Foi eleito para chefe do poder executivo em 1928, mas não chegou ao fim o mandato em função da cassação sofrida logo após a Revolução de 1930.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Um dos destaques do seu curto mandato de dois anos foi a implementação da energia a motor em Serra Talhada. Era um dos líderes da UDN ( União Democrática Nacional), ao lado do ex-prefeito João Lucas de Barros e do fazendeiro Enock Ignácio. Os udenistas promoveram uma ferrenha oposição ao grupo liderado por Agamenon Magalhães, Methódio de Godoy e do Coronel Cornélio Soares. A trágica morte de Tutu Carvalho, aos 72 anos, foi tema de matérias em diversos jornais do país, entre eles, o Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro.

Veja também:   Com reajuste de 11,28%, aposentado do INSS ganhará até R$ 5.189,82

Em 1967, ataque fulminante de abelhas mata ex-prefeito de ST

Padre Jesus Garcia Riaño