Publicado às 05h40 deste domingo (3)

O debate a cerca do estupro reacendeu a luz vermelha nos últimas dias após a repercussão de casos nacionais sobre a violência sexual. A reportagem do Farol entrou em contato com a Delegacia de Polícia Civil de Serra Talhada em busca de dados dos abusos sexuais.

Apenas na Capital do Xaxado, nos últimos dois anos, durante a pandemia do Covid-19, foram registradas 27 queixas de violência sexual. Os registros são dos anos de 2020, com 11 boletins de ocorrência; e em 2021, foram 16 casos.

Ainda de acordo com as informações policiais, a região da 21ª Seccional Delegacia de Polícia, os números alarmam um pouco mais. No ano de 2020, foram 31 casos em toda a área atendida pela força policial. Em 2021, o registro subiu para 41. Com 10 casos a mais no balanço.

CASOS A NÍVEL NACIONAL

Na última terça-feira (29) apresentadora global, Angélica, 48 anos, veio a público revelar que foi vítima de abuso sexual durante a gravação do seu maior sucesso musical, o ‘Vou de Táxi’. Nas redes sociais, a Angélica contou que o caso ocorreu na França, quando tinha por volta de 14 a 15 anos.

Ainda no dia 20 de março, uma jovem de identidade e idade não reveladas, vou vítima de abuso sexual após ser deixada desacordada em uma rua na cidade de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. Ela foi estuprada por um homem que passava pelo local.

Mulher é abandonada desacordada em rua e estuprada por homens

Angélica revela ter sofrido abuso sexual quando era menor

Veja também:   Professor serra-talhadense morre na UTI nessa 5ª