G1

Mulheres do Movimento Sem Terra (MST) ocuparam a sede do Ministério da Agricultura, em Brasília, na manhã desta segunda-feira (9). Usando bonés e com os rostos cobertos, as manifestantes bloquearam a entrada do prédio e jogaram tinta vermelha no chão.

O protesto faz parte da Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra, realizado desde domingo (8) no Distrito Federal. Até a publicação desta reportagem, o G1 aguardava o posicionamento do governo federal sobre a ocupação do prédio.

Durante o ato, por volta das 8h30, as manifestantes também deixaram um caixão coberto pela bandeira do Brasil (veja foto abaixo) na porta do ministério. Ao lado também foram deixadas pás e frascos vazios do que representariam embalagens de agrotóxicos.

Segundo as organizadoras, o protesto é contra a suposta distribuição de títulos individuais de lotes de terra para os assentados da reforma agrária, além do que chamaram de “cortes nos investimentos públicos e a liberação desenfreada de agrotóxicos pelo governo Bolsonaro”.

“Nós sempre defendemos o Contrato de Concessão de Uso (CCU), porque restringe a mercantilização das terras conquistadas, e terra para nós é um bem comum da natureza, e portanto, não pode ser mercadoria”, explicou Maria da Silva Trindade, do MST.

Motoristas que vinham da Asa Norte em direção ao Eixo Monumental tiveram que desviar pela psiat de baixo já que via de ligação ficou bloqueada pela polícia.