Com informações do Blog Sobrinho Picui

Publicado às 05h desta quinta-feira (14)

A autora serra-talhadense Débora Ferraz, do celebrado romance Enquanto Deus Não Está Olhando, lança seu novo livro Ogivas pela editora Caos e Letras nesta sexta-feira (15). O evento acontece às 16h, na Vila do Porto, em João Pessoa. Vencedora dos prêmios Sesc e São Paulo de Literatura, a escritora volta agora ao conto: gênero no qual estreou na literatura com Os Anjos quando tinha apenas dezesseis anos.

“Hoje eu me sinto mais madura na escrita, com mais paciência e consciência do que faço. Apesar de o conto ser o primeiro gênero no qual publiquei, não foi o gênero no qual comecei a escrever nem o gênero que acho mais fácil. O conto é mais desafiador que o romance em vários aspectos. Exige mais argúcia, mais clareza e coragem: coisa que a gente só adquire com alguma maturidade literária”.

DE VOLTA AO CONTO

Apesar de ter sido uma longa jornada para retornar ao conto, a autora afirma que sua afinidade com o romance, longe de atrapalhar, acabaram lhe ajudando na edição do livro. “O Ogivas tem em comum com um romance uma certa preocupação com a unidade temática: trabalhadores explorados, lições equivocadas sobre estupro, balas perdidas e até aulas de ballet, todos esses personagens e conflitos se cruzam na mesma ambiguidade do título”.

O título, no caso, veio à autora em um sonho e faz referência ao mesmo tempo à descoberta dos arcos ogivais na arquitetura, um marco na história das artes, e ao mesmo tempo ao conceito de armas. “Creio que este seja um livro político no sentido mais profundo da palavra: ele é um convite ao nosso desconforto em sociedade. Um livro violento sobre violência”, descreveu.

Veja também:   Sistemas do SUS estão fora do ar nesta terça-feira

Além do tema em comum, a forma como estão dispostos os dezessete contos também emulam a formação de um arco ogival. A proposta, ressaltada no projeto gráfico de Cristiano Rato (editor da Caos e Letras juntamente com Eduardo Sabino), é que as histórias evoluam em conjunto. “Creio que o livro ganhe ainda mais força se lido na ordem proposta: há contos paralelos, personagens que reaparecem num novo arco. É como se os mesmos temas evoluíssem num crescendo que culmina num último conto”.

PARTICIPAÇÃO NA TV FAROL

Débora Ferraz também contou um pouco de sua história e trabalhos literários, memórias e também aconselhou os novos escritores que sonham em se aventurar pela literatura no Programa Bodega do Som, na TV Farol. Assista abaixo: