Foto: Farol de Noticias/Celso Garcia

Publicado às 04h42 desta sexta-feira (29)

O ex-deputado federal Fernando Ferro (PT) participou do programa Falando Francamente, na TV Farol, nessa quinta-feira (28), e acabou dando uma aula de sinceridade. Ferro, que foi um dos deputados mais atuantes durante 20 anos, na Câmara Federal, tenta retornar ao Congresso sendo um dos elos da aliança entre PT/PSB em Pernambuco, que busca eleger o deputado Danilo Cabral (PSB) sucessor de Paulo Câmara. Ao ser provocado sobre o assunto, inclusive, sobre a postura de Danilo na votação do impeachment da ex-Presidenta Dilma Rousseff, Ferro admitiu desconforto em votar no socialista.

“Eu expressei isso claramente há algum tempo no PT, que eu não faço política só olhando para o retrovisor. Eu também não costumo esquecer os maus procedimentos de quem anda na política. Eu não estou convencido em votar em Danilo Cabral, por enquanto. Posso dizer isso seguramente. Presidente Lula veio aqui, pediu para a gente apoiar. Eu não vou fazer campanha contra Danilo Cabral. Mas eu acho que nós perdemos uma grande oportunidade de ter uma candidata como Marília Arraes governadora pelo PT, e não tivemos”, declarou o pré-candidato a deputado federal.

Veja também:   Agência do Trabalho com vagas para Serra Talhada

ASSISTA À ENTREVISTA COM FERNANDO FERRO

“Respeito Marília, mas também não posso acompanhá-la porque ela tomou um rumo político, que eu enquanto petista não vou seguir. Mas respeito isso. Sou contra fazer uma campanha contra Marília, porque eu sei que vai ser uma eleição que vai dar dois turnos. Você não pode querer destruir o adversário, porque você pode precisar dos votos dessa pessoa no segundo turno. Eu estou numa posição independente em relação à disputa de governo. Eu vou avaliar a caminhada dessa campanha porque eu sei que nós teremos muitos fatores”, reforçou.

DESGASTE DO PSB E CASSAÇÃO DE DILMA

Ainda segundo Fernando Ferro, quem vai levantar a bandeira de Danilo Cabral terá que ‘engolir’ o desgaste do governo Paulo Câmara, e a injustiça que o PSB e Danilo Cabral fizeram com a ex-Presidente Dilma Rousseff.

Veja também:   Veja o candidato votado em ST com mais bens

“Eu não posso convencer um eleitor se eu mesmo não estou convencido. Em política a gente tem que ser franco. Eu disse isso claramente, porque achei que foi incorreta a forma como ele [Danilo] votou pela cassação da presidente Dilma. Eu considero aquela mulher a integridade da política brasileira, foi desrespeitada como mulher e como política. E outras coisas. O governo do PSB está muito desgastado. É um governo com uma péssima avaliação. Aí bota a culpa: “Não, porque foi que Bolsonaro perseguiu”. Não, não é assim. Nós temos o governador da Bahia, Rui Costa, perseguido por Bolsonaro, está com 80% aprovação. A nossa governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, perseguida por Bolsonaro, está com 70% de aprovação. O governador do Ceará, Camilo, está com 80% de aprovação, perseguido por Bolsonaro. Então, eu acho que houve erros aqui, ou de comunicação, ou de gestão, ou de incapacidade ou de desvios aqui no estado de Pernambuco”, declarou Fernando Ferro, arrematando:

Veja também:   Filas enormes em ST nessa sexta-feira (12) para o Auxílio Brasil

“Nesse sentido, eu não estou com gás e energia para defender um projeto desse, a não ser que eu me convença na carruagem, na caminhada a gente vai conversar. Eu vou conversar com as partes. Conversei com o presidente Lula. Tenho colocado essa minha dificuldade, mas eu não sou de mentir, nem vou fazer simulação, nem vou fazer joguinho de faz de conta quando eu sei que teve esses problemas na política. Mas a política também é dinâmica. Eu posso até mudar de posição. Mas quero que me convençam para mudar de posição”.