manoel santos4

Diante da perda do saudoso deputado estadual, Manoel Santos, muitos amigos e autoridades políticas da cidade lamentam e prestam homenagens em solidariedade a família. A reportagem do FAROL foi às ruas para saber dos serratalhadenses como receberam a notícia. O sentimento de toda a população é de tristeza, os populares relembraram também os momentos marcantes da carreira sindical e política.

DSC_0052Lídia dos Santos, 30 anos, dona de casa: “Eu fiquei muito triste ao saber que o deputado Manoel Santos faleceu, não era para ter acontecido isso. O trabalho dele foi muito importante e eu conhecia mais do sindicato, lá ele ajudou muitas pessoas. Eu não o conhecia pessoalmente, só de vista, mas minha família todinha conhecia ele, são agricultores e conheciam bem o trabalho dele. Ajudou muita gente da minha família e tudo que precisavam que pediam ele ajudava, com um remédio, tudo ele arrumava”.

DSC_0044Wallace Barbosa, 27 anos, agricultor: “Foi muito sentido a morte de Manoel Santos, ele ajudou muito o povo da agricultura. Não estou falando por eu e por os outros não, é por todos os agricultores. Ele já foi presidente do sindicato e ele ajudou muito o povo que mora no sítio, mesmo depois de deputado estadual, ele um ajudou a ter um benefício, o seguro safra. Pelas pessoas que nunca receberam o seguro safra que Dilma aprovou e ele ajudava nesse sentido. Foi muito sentido a morte dele, e mais no sindicato ele lutou muito pelo povo do sítio, o povo que mora no mato. Eu já vi muito o povo falar que ele era muito bom”.

DSC_0038Mônica Lira, 45 anos, professora: “O falecimento do deputado foi uma perda pra gente, uma pessoa conhecida na sociedade, que já trabalhava há bastante tempo, uma pessoa que votei nele e conhecia alguns dos seus trabalhos. De qualquer maneira foi um choque, uma notícia triste para todos que o conheceram. Ele foi fundador, um dos fundadores da Cut, também, e tinha vários trabalhos dele já conhecidos. Era um político ativo, atuante e de qualquer maneira vai fazer falta para todos, não só nós serratalhadenses, mas todos os pernambucanos. Era uma pessoa ativa e que faleceu muito cedo”.

Veja também:   Secretaria do Trabalho abre inscrições para cursos e inclui ST

DSC_0031Manoel Lopes, 61 anos, segurança aposentado: “Eu senti muita tristeza porque toda a vida eu conheci “Mané”, ele era presidente do sindicato e depois se candidatou a deputado e eu já conhecia ele, ganhou. Entrou nessa e o pessoal dizia ‘ele num ganha não’ e eu disse que ele ia ganhar e ganhou. O comitê dele era em frente à minha casa e eu senti demais a morte dele. Era um homem do povo, um pobre trabalhador que venceu e ajudava os outros. Eu encontrava com ele em todo canto, no banco, em casa, no comitê e ele nunca deixou de me cumprimentar, toda vida ele falava comigo. E o principal trabalho dele foi pelo sindicato, a principal carreira dele foi no sindicato como presidente. Batalhou e tudo isso daqui foi através dele no sindicato e foi um grande político, um grande amigo do povo”.

DSC_0032Francisca Brito, 64 anos, dona de casa: “Eu recebi a notícia da morte dele hoje pela rádio, eu fiquei muito triste. Ele era uma pessoa maravilhosa, uma pessoa que fazia caridade a todo mundo, não era covarde com ninguém. Quando o pessoal precisava de Manoel Santos ele chegava na hora, não tinha cara feira, para ele dizer não era muito difícil. Eu por ser uma senhora, na idade que estou, senti muito a morte dele. Me lembro do trabalho dele que foi muito bom, muito bonito e graças a Deus, em nome de Jesus ele agora já está nas mão de Jesus, porque o comitê dele era nessa outra rua e era muita gente que precisava de Manoel Santos e graças a Deus ele ganhou e merecia de ganhar, nós demos força e ele ganhou. Eu mesma votei nele, e me lembro do trabalho dele nas duas partes, tanto como deputado quanto no sindicato. Então, agora ele morreu e a gente só pode lamentar e rezar por ele”.

Veja também:   Justiça afasta 8 policiais miitares após morte de índio em Carnaubeira

DSC_0028Geandro da Silva, 28 anos, comerciante autônomo: “Olhe, a morte do deputado Manoel Santos nos deixou um pouco triste, pela pessoa dele e como deputado ele se preocupava com a nossa terra, se preocupava com os trabalhadores realmente. Estava sempre presente acompanhando os trabalhadores e eu fico triste por saber que a cidade perdeu um homem como Manoel Santos. Eu o conhecia pessoalmente, inclusive já trabalhei com ele durante a campanha, então eu fiquei muito triste sobre a morte dele. Eu pensei, poxa, perdemos mais um serratalhadense e perdemos uma pessoa que realmente se preocupava com a cidade e igual a ele vai ser difícil ter aqui”.

DSC_0017Miguel Filho, 78 anos, agricultor: Eu moro no 5º distrito de Serra Talhada, numa comunidade que eu formei que chama Amigos do Rio do Deserto e lá todo mundo ficou abalado com a notícia. O Manoel Santos era uma pessoa da luta conosco e desde a greve da represa da Serrinha ele estava junto conosco presidindo o sindicato e outras coisas, na Fetape. Hoje ele era o nosso deputado, eu chamo nosso deputado porque ele realmente era o meu deputado. Eu acho que é uma grande perda, não só eu como amigo, como companheiro, mas o município inteiro. Ele era uma pessoa que como deputado poderia trazer decisões importantes para Serra Talhada. Na política o povo acusava que ele não fazia nada, mas o estado de Pernambuco é muito grande, ele tinha muitos planos para realizar não só para aqui, mas para vários outros municípios. Eu recordo todas essas coisas, a história dele e a enfermidade que ele tinha, que era uma doença muito difícil de escapar. E assim nós ficamos só com o sentimento e a lembrança e que Deus o guarde em um bom lugar.