Publicado às 17h50 desta terça-feira (2)

Toda a comunidade de Conceição do Meio, na zona rural de Serra Talhada, se reuniu para ajudar nas buscas do agricultor Genivan da Silva Marinho, de 35 anos, que estava desaparecido desde às 21h da última sexta-feira (29). No momento em que desapareceu, ele vestia uma camisa laranja, calça cinza, sandália azul e um chapéu.

O agricultor foi encontrado com vida e aparentemente sem machucados no início da noite dessa segunda-feira (1), após 72 horas perdido pela região. De acordo com informações de familiares, ele foi encontrado nas proximidades do Sítio Olho d’Água e levado de volta para casa, onde afirmou que não conseguiu voltar para casa porque estava desorientado.

Veja também:   Os talentos de um pai que usa a culinária para fortalecer a família

De acordo com a agricultora Terezinha Alves, 50 anos, tia da esposa do desaparecido, Jeane Pereira, 30 anos, em conversa com o Farol de Notícias no início da tarde, o serra-talhadense estava sentado na calçada junto a seus familiares, quando de repente se levantou e correu em direção a mata. Ela ainda explicou que Genivan apresentava comportamento depressivo, mas não realizava nenhum tratamento.

“Eles estavam na calçada conversando, era por volta de umas 9 horas da noite quando ele levantou e saiu correndo para o meio do mato. Perguntamos ainda se ele falou alguma coisa, mas disseram que ele saiu calado. Só levantou e correu. Como estava escuro os meninos que estavam lá saíram atrás dele, mas não conseguiram encontrar”, disse a familiar, antes do rapaz ser encontrado.

Veja também:   Motociclista tenta fugir da PRF e quase atropela policiais em ST

BUSCAS NO FIM DE SEMANA

Em conversa com o Farol de Notícias, Terezinha ainda explicou que no sábado (30) e no domingo (31) foram montadas equipes de buscas pela região do Sítio Conceição do Meio, mais de 15 moradores se sensibilizaram com a situação e mobilizaram as buscas e o mutirão deu certo.

“Ele tem dois filhos, um de 6 anos e outro de 15 anos, está todo mundo procurando ele, preocupados. Foi feito o Boletim de Ocorrência na Delegacia aqui de Serra, mas os policiais informaram que não podia ir procurar, não tinham equipamento e era direito da família. Já olharam por todo canto lá, mas não encontraram nada. Hoje um rapaz encontrou ele e levou de volta. A minha sobrinha ainda disse que eles vão procurar ajuda para ele, um tratamento, porque ele está precisando muito”.