Publicado às 13h32 desta sexta-feira (27)

A programação da Festa da Penha, em Serra Talhada, começará nesse domingo (29) com a oração do Santo Terço na residência de Arthur Erickson Gregório Mourato, 31, anos, Rua José Alves da Silveira, 766. Após o término, seguirão o mesmo modelo de 2020, com os fiéis seguindo  a bandeira de Nossa Senhora da Penha, em carreata, pelas ruas Isidoro Conrado, Manoel Pereira Lins, Comandante Superior até a Igreja Matriz na Praça Barão do Pajeú para evitar o contato físico em função da pandemia.

Nesta sexta-feira (27) a reportagem do Farol conversou com o noiteiro que foi o guardião da bandeira durante dois anos. Cheio de fé, ele acabou revelando que o mal da Covid-19 não se alastrou na família durante este período, e vê isso como uma graça alcançada.

”Para mim, é uma honra, um privilégio, motivo de alegria e grande felicidade por tido essa graça, apesar de ter sido um ano difícil tive essa graça de permanecer  com o símbolo do início das festividades da padroeira do nosso município. Como cristão católico, faz parte da minha vida porque eu sempre fui envolvido nos movimentos da igreja e sempre tive o sonho de um dia receber a Bandeira da Penha. Esse ano foi único que passou 2 anos consecutivos na mesma residência. Embora não tenha sido por um bom motivo, mas foi uma graça alcançada, eu fui tão privilegiado porque durante esses dois anos ninguém da minha família foi cometido pela Covid-19 mesmo trabalhando  em áreas de riscos como hospitais”, disse o devoto de Nossa Senhora da Penha.

 

Veja também:   Perseguição e resistência à prisão causam confusão nas ruas de ST