Do G1

O fotógrafo Renato Magalhães fez um registro raro em Fernando de Noronha. O profissional, que produz imagens subaquáticas, fotografou o ovo de um tubarão-lixa durante mergulho em um local chamado de Ressurreta, na Ilha Rata, na quinta-feira (26), numa profundidade de dez metros.

“Eu estava fazendo fotos do mergulho de batismo dos turistas e fiquei feliz porque encontrei a chamada cápsula de sereia, que é o ovo de tubarão. Achei divertido encontrar uma coisa diferente no mar”, contou o fotógrafo.

A cápsula estava já sem o filhote de tubarão e foi entregue ao engenheiro de pesca e especialista em tubarões Leonardo Veras. Segundo o pesquisador, em 31 anos, essa foi a primeira vez que viu um registro do ovo no mar. Todas as vezes, apesar de realizar mergulhos, ele só fez registros da bolsa de sereia na areia.

“Essa foto é um achado, é provável que o tubarão tenha nascido poucas horas antes, o material ainda está fresco”, declarou o pesquisador.

Veras explicou que tubarões têm vários tipos de reprodução, entre eles existem os animais que colocam ovos, entre eles o tubarão-lixa, mas os ovos não são como os de galinha, por exemplo.

“Esse material é chamado de cápsula ou bolsa de sereia, é como se fosse a casca de um ovo. A fêmea gesta. Na hora da eclosão, ela expele o ovo e a cria [ao mesmo tempo]”, contou Veras.

O estudioso afirmou que o ovo encontrado é de tubarão-lixa, que está no período reprodutivo até setembro.