Publicado às 06h16 desta terça-feira (22)

Após ler matéria sobre denúncia contra o Hospital Regional Agamenon Magalhães (relembre aqui), a agricultora Taynan Rodrigues, 24 anos, relatou que no último domingo (20), passou por situação parecida.

Segundo Taynan, ela está grávida de 29 semanas e sentiu muita dor, teve 1 centímetro de dilatação e procurou o Hospam. Segundo ela, negaram a ultrassom e a encaminharam para o Hospital da Mulher em Recife. Ao chegar na capital pernambucana, a médica pediu para retornar justificando que a conduta médica do Hospam estava errada. Leia o relato abaixo.

“No dia (20) fui lá, estou grávida de 29 semanas, estava com 1cm de dilatação e meu colo pervio, me deram comprimidos pra inibir o parto prematuro e me encaminharam às pressa pra Recife. Me negaram uma ultrassonografia, pois só fazia se pudesse pagar e eu não podia, fui levada até lá pelo bombeiro com contrações.

Chegando em Recife eles me mandaram voltar sem medicamento nenhum e ainda falaram que não estava em trabalho de parto. A médica do Recife ainda chamou o médico aqui de serra de “Tipinho”, a técnica de enfermagem que me acompanhou ouviu e viu tudo. Sigo em casa com cólicas, perdi sangue ontem cedo e sem solução. E ninguém fez nada. Estou indignada, pois fui encaminhada para Recife arriscando nossas vidas a noite e voltar de lá sem atendimento porque o médico do Hospam me deu conduta errada”, lamentou.

 

Veja também:   Vandinho da Saúde 'abre o jogo' nesta 5ª na TV Farol