DSC_0013O Grupo Espírita Cícero, de Serra Talhada, faz um alerta sobre a convivência entre os detentos na cadeia pública da capital do xaxado. Os espíritas realizam um trabalho rotineiro de ação social dentro da cadeia e não se conformam com as dificuldades que estão instaladas no local. “Quem está ali não sobrevive em condições humanas, pois a realidade é desumana. Já que estão presos, pagando suas penas, é preciso ter um local que ofereça dignidade ao ser humano. Até uma sala que era utilizada como biblioteca está sendo utilizado como espaço prisional”, lamentou Antonio Arnaldo Ferreira de Lima, presidente do Grupo Espírita Cícero.

Veja também:   EDUCAÇÃO: Alunos comemoram primeiro ano do curso de medicina em ST

Inconformado, o grupo iniciou um trabalho de coleta de assinaturas para a construção de uma nova cadeia pública em Serra Talhada que será entregue ao governador eleito. Cerca de 3 mil assinaturas já foram coletadas. “Acredito que uma reforma não resolve, é preciso uma nova cadeia. No último levantamento que fizemos haviam cerca de 75 presos espremidos em cubículos”, reforçou Arnaldo Ferreira.

Os interessados em assinar o documento que será entregue ao Governo de Pernambuco podem procurar o Centro Espírita, no bairro da Várzea, em frente a Escola Técnica Clóvis Nogueira (Escola Fazenda). “Também estamos visitando escolas em busca de assinaturas”, finalizou Ferreira.

Veja também:   FOTO NOTÍCIA: Bairro Vila Bela acumula problemas e perde em qualidade de vida