Da Revista Forum

A indústria farmacêutica norte-americana Johnson & Johnson terá que desembolsar mais de US$ 100 milhões por conta de mais de mil processos judiciais contra o seu talco infantil. De acordo com informações da Bloomberg, que entrevistou fontes especializadas no assunto, o produto causa câncer.

Segundo a mídia, é o primeiro grande acordo alcançado pela empresa após quatro anos de contencioso.

Mas a coisa não fica por aí. A empresa enfrenta ainda outras vinte mil ações similares pendentes. Consumidores alegam que o produto teria causado a doença por estar contaminado com amianto, um conhecido agente cancerígeno.

O possível acordo ocorre sete meses após a última sessão do tribunal sobre o assunto. A empresa teria aproveitado a pausa gerada pela pandemia para fazer as negociações.

A Johnson & Johnson nega as acusações e reitera que seu talco é “seguro, não contém amianto e não causa câncer”.

“Em certas circunstâncias, optamos por resolver os processos, o que é feito sem admissão de responsabilidade e em nada altera a nossa posição em relação à segurança dos nossos produtos”, disse Kim Montagnino, porta-voz da empresa. Ele disse ainda que a “evidência científica” apoia essa posição.

Estimativa da Bloomberg Intelligence, feita em julho deste ano, afirma que para resolver todos os casos pendentes a Johnson & Johnson pode gastar até US$ 10 bilhões.