Do Folha PE

O Movimento Brasil Livre (MBL) protocolou representação no Ministério Público Eleitoral (MPE) contra a cantora Juliette, acusando a ex-BBB de realizar campanha eleitoral antecipada durante show realizado no São João de Caruaru.

Na ação, é alegado que Juliette estaria beneficiando, durante o show, a pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República.

Na apresentação, durante intervalo entre músicas, o público entoou coros pró-Lula, supostamente apoiados pela cantora, que chegou a tirar o retorno e disse que não ouvia muito bem a manifestação dos presentes, que imediatamente aumentaram o volume dos cantos.

A ação foi movida pelo vereador por São Paulo Rubinho Nunes (União), pré-candidato a deputado federal, e por Guto Zacarias (União), que também pleiteia uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). No documento, afirmam que Juliette teria transformado a apresentação em Caruaru em um “showmício”.

Veja também:   Empresários defendem a Festa de Setembro

Os autores pedem a condenação de Juliette e Lula, além de pedir que os dois paguem multa. Para casos de desrespeito à lei eleitoral, os valores podem variar entre R$ 5 mil e R$ 25 mil.

Nas redes sociais, a cantora não mencionou diretamente o ocorrido, mas se manifestou pedindo que se fale de coisa boa.

“A estratégia é tão óbvia. Só não enxerga quem não quer. Próxima pautaaa… vamos falar de coisa boa?!”, afirmou, em publicação no Twitter.