Junho avassalador, julho decepcionante: Santa finaliza mês que cravou eliminação na Série D

Foto: Evelyn Victoria/SCFC

Por Folha de Pernambuco

Não houve pior mês para o Santa Cruz em 2023 do que julho. Nos quatro jogos que fez no período, o Tricolor perdeu dois e empatou outros dois. Sequência que culminou na eliminação precoce na fase de grupos da Série D do Campeonato Brasileiro. O clube agora corre o risco de não ter calendário nacional em 2024 – só conseguirá disputar a Quarta Divisão no ano que vem se o Retrô alcançar o acesso à Série C.

Quando julho começou, o Santa Cruz era o vice-líder do Grupo 3 da Série D, com 18 pontos. Vinha de uma derrota no final de junho, por 2×1, para o Sousa, fora de casa, mas a sequência era animadora. O Tricolor ficou sem perder nos sete jogos anteriores, com quatro vitórias e três empates. Os pernambucanos tinham três pontos a mais que o Pacajus, que estava em quinto, com 15.

Veja também:   Jovem é assaltado por dupla da moto em ST

As coisas começaram a desandar a partir da 11ª rodada, no primeiro dia do mês. No Arruda, o Santa ficou no 2×2 com o Nacional-PB. Resultado que jogou o clube para a terceira posição, com 19 pontos.

Depois, veio o baque da saída do G4 ao perder por 2×0 para o Campinense, no Amigão, no dia 10 do mês passado. O Santa estava em quinto, mas só um ponto atrás do Nacional. O resultado marcou a demissão do técnico Felipe Conceição e a chegada de Evaristo Piza.

Para seguir vivo na Série D, era preciso vencer o Potiguar, seis dias depois. Novamente em casa, sob novo comando, o Tricolor decepcionou a torcida ao ficar no 1×1, permanecendo na mesma colocação. O jogo final foi no dia 23 de julho, contra o Iguatu, no Morenão. A derrota por 1×0 cravou a eliminação do Santa Cruz.

Veja também:   Waldemar Oliveira diz que virá muito trabalho

Apenas com a disputa do Campeonato Pernambucano e da pré-Copa do Nordeste garantidas no calendário de 2024, o clube corre o risco de disputar somente 13 partidas no ano que vem. Ao todo, seriam 12 da primeira etapa do Estadual e uma da seletiva do Nordestão. O número aumentará se o Tricolor avançar nos torneios, além, claro, se herdar também a vaga na Série D do Retrô.

Por falar na Fênix, a equipe venceu o Pacajus no jogo de ida da segunda fase da Série D, por 2×1, no Ronaldão. A equipe comandada pelo técnico Marcelo Martelotte precisa apenas de um empate no duelo da volta, no próximo domingo (6), na Arena de Pernambuco, para pular mais uma etapa rumo ao sonhado acesso.

Veja também:   Filme sobre 'cura gay' é cancelado no Brasil