Do G1

A Justiça da Grécia declarou que o fundador do partido neonazista grego Aurora Dourada, Nikos Michaloliakos, e outros líderes do grupo comandam uma organização criminosa. A sentença anunciada nesta quarta-feira (7) foi recebida com aplausos na sala de audiência.

Michaloliakos, de 62 anos, é o fundador do grupo político. Ele é um dos 68 acusados no processo que julga um assassinato e duas tentativas de homicídio. Em frente ao Palácio de Justiça, uma multidão se reunia para pedir sentenças duras aos acusados.

Grécia avança no desmantelamento do partido neonazista Aurora Dourada
Pelo menos 2 mil policiais foram mobilizados para a área para dispersar a manifestação com o uso de gás lacrimogêneo. A movimentação gerou embate entre a polícia e os manifestantes que arremessaram lixo e atearam fogo em alguns pontos do centro de Atenas.

A presidente da Grécia, Katerina Sakellaropoulou (direita), disse que a sentença marcava um “importante dia para a democracia nacional”. Durante a crise fiscal do país, em 2015, o Aurora Dourada chegou a ser a terceira maior força no Parlamento grego.

Morte de rapper

Em 2013, o rapper antifascista Pavlos Fyssas foi assassinado por um apoiador do partido neonazista. Nesta quarta, o principal acusado, Yiorgos Roupakias, foi declarado culpado pelo tribunal.

Foi depois desse crime que os promotores gregos começaram a investigar membros do Aurora Dourada. A investigação chegou a atingir inclusive alguns parlamentares.

Outros cinco correligionários foram condenados pela tentativa de assassinato de um pescador egípcio e mais quatro membros do partido foram declarados culpados pela tentativa de assassinato de sindicalistas.