Da ISTOÉ

Crédito: Reprodução/TV Globo

Após mais um tiroteio nesta quinta-feira (17), Lázaro Barbosa, suspeito de uma chacina em Ceilândia que está foragido há uma semana, conseguiu fugir pela mata, em Cocalzinho de Goiás, mas pode estar ferido, de acordo com o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda. As informações são do G1.

“Cão farejador achou pano ensanguentado, pode ser até um ferimento grave. Ele tentou acertar um dos cachorros, policiais visualizaram e revidaram. Ele entrou em uma vala e depois, provavelmente, na água, e os policiais perderam o rastro dele”, disse o secretário.

Segundo a reportagem, o tiroteio aconteceu por volta de 17h. O novo confronto aconteceu dois dias depois de policiais trocarem tiros contra Lázaro durante o resgate de uma família que ele teria feito de refém.

Veja também:   Bolsonaro sanciona piso da enfermagem, mas veta reajuste pelo INPC

Moradores do município relataram ter ouvido dezenas de tiros. Segundo o secretário de Segurança Pública, durante a perseguição, Lázaro tentou atirar contra os cães farejadores que estavam indo em sua direção.

“Veio a notícia que houve um disparo contra a equipe da policia, que revidou em um milharal. Ele [Lázaro] desceu e foi para a mata, que é o padrão dele. O cão e o Bope foram atrás. Lá embaixo, ele tentou atirar no cão. Os policiais revidaram e ele entrou em uma vala com água e os policiais perderam a pista dele”, disse Miranda.

Ainda segundo o G1, mais de 200 policiais estão no 9º dia de buscas contra o suspeito e, mais cedo, o secretário anunciou que equipes da Força Nacional reforçariam as buscas.

Veja também:   Valor de até R$ 1.212 é liberada; veja o calendário o PIS e quem recebe

Aproveite o melhor da vida sem se preocupar com o que pode acontecer. Conheça a siSou!
Quer receber noticias da ISTOÉ no seu e-mail? Inscreva-se na newsletter!
Concordo com as práticas descritas na política de privacidade

Lázaro é acusado de matar, a tiros e facadas, três pessoas na zona rural de Ceilândia no último dia 9 de junho. Os mortos eram Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, e os filhos Gustavo Marques Vidas, de 21 anos, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15 anos.

O foragido também é acusado de participar do sequestro da mulher de Cláudio, Cleonice Marques de Andrade. O corpo dela foi encontrado no dia 12 à beira de um córrego, próximo da casa onde a família morava. No mesmo dia, Lázaro fugiu de um cerco policial na cidade de Cocalzinho. Ao fugir, ele trocou tiros com agentes e ateou fogo em uma casa.

Veja também:   Serra-talhadense cai em golpe pelo WhatsApp e perde mais de R$ 10 mil