cordelista

Fotos: Alejandro García / Farol

A literatura está em alta neste início de maio em Serra Talhada, escritores de diversos lugares estão pela cidade que respira poesia. A redação do FAROL recebeu a visita do cordelista Ivaldo Batista Costa, natural de Carpina, que há 30 anos está pelo litoral pernambucano lecionando história e filosofia e desde a sala de aula utiliza o cordel como instrumento didático. O poeta é uma das atrações da literatura popular pernambucana que a Capital do Xaxado recebe nesta I Flist.

Ivaldo relatou que já publicou seis livros de contos em 20 anos de carreira de escritor, mas há 10 anos enveredou pelos pés e rimas do cordel e já publicou 100 folhetos.

Veja também:   Startup Weekend: Evento vai reunir 100 empreendedores em ST conectando Brasil e EUA

“Em Recife eu tenho alguns pontos que costumamos ir e levar nossos versos como o Mercado São José, Olinda no Alto da Sé, na Rebeira e em Caruaru. Há muita procura em Caruaru, no Alto do Moura, na Rodoviária, Feira da Sulanca, de artesanato. Mas eu ando levando o cordel para todo canto, até para Porto Alegre eu já fui fazendo divulgação”, disse Batista.

O cordelista relatou sua obra parte de diversos temas, mas para a Flist trouxe folhetos especiais que versam sobre a história das cidades do Sertão, dentro do projeto,“Minha cidade em Cordel”.

Veja também:   PMST acelera obras de infraestrutura, mas moradores reclamam de muriçocas

“Eu pego a história da cidade e transformo em cordel, ai a pessoa que ler o cordel vai conhecer a história da sua cidade através dos versos e das rimas. Eu trouxe para a feira um cordel sobre Serra Talhada, sobre Floresta, Exu, Salgueiro, Serrita, Arcoverde, Pesqueira. Quem quiser conferir de perto pode visitar o stand da editora Coqueiro que eu estarei lá junto dos meus cordéis”, convidou o cordelista.