Publicado às 13h30 deste sábado (21)

Portal UOL, de abrangência nacional, destaca a médica serra-talhadense neste sábado 

A médica Clevia Lidiane Macedo que atua em Serra Talhada há 15 anos virou destaque nacional no Portal UOL, neste sábado (21), após tomar uma atitude corajosa diante a aparente letargia da população de Serra Talhada no combate ao coronavírus [veja aqui], que já matou mais de 10 mil pessoas em todo o mundo e agora avança depressa sobre o solo pernambucano.

Dra. Clévia, como é mais popularmente conhecida na cidade, se despiu da cerimônia dos consultórios e atendimentos clínicos, pegou um microfone e – acompanhada de um carro de som – foi para frente do Mercado Público e da Caixa Econômica Federal, ambos no Centro, dizer para os serra-talhadenses irem para casa, com urgência. Por enquanto, só assim, longe de aglomerações, será possível evitar o contágio rápido do vírus, que pode ser letal.

Pernambuco já tem 31 casos confirmados e Serra Talhada contabiliza dois em investigação [veja aqui].  Dra. Clevia atende no Hospam e no hospital São Vicente.

Site do UOL destaca a médica em sua página principal (matéria no canto direito)

“A quarentena é um período que as pessoas devem ficar em casa, a princípio por 15 dias, que todos devem ficar em casa, mas aqui em Serra eu tenho notado que as pessoas não estão entendendo ou não estão respeitando porque não querem mesmo a quarentena. As pessoas saem para ir ao comércio com naturalidade. Hoje dia 19 de março eu vindo de hospital a outro eu vi no comércio diversas pessoas nas lojas, nos mercados, como se nada tivesse acontecendo, como se não tivesse uma pandemia no mundo”, alertou a médica, complementando:

“É necessário que vocês entendam que Serra Talhada não é uma cidade diferente das outras, e que não está “blindada”contra o coronavírus. Ele está chegando a nossa cidade sim, se já não chegou e a gente não está sabendo. Os casos de gripe simples muitas vezes é coronavírus, mas que se resolvem naturalmente e não são notificados. Não só em Serra Talhada mas em qualquer outro lugar há subnotificação de casos, mas vocês tem que entender, se a gente agora se unir e realmente ficarmos em casa, não dando condições desse vírus se propagar nós vamos mudar a curva de contágio do vírus e vamos conseguir sim”.

ASSISTA AO VÍDEO