Da Rádio Jornal

Uma dona de casa de 22 anos denuncia ter sido espancada pelo vizinho casado após ter se recusado a se relacionar com ele no bairro de Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho. A agressão ocorreu em frente à casa da vítima.

A vítima, Andreza Gomes, chegou à Delegacia da Mulher do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, acompanhada da família e de advogados.

Abalada, ela conta que, na sexta-feira (13), decidiu conversar com a esposa do vizinho a respeito dele e que, já no terraço, ele começou a agredir verbalmente.

Logo após, Andreza diz que ele a levou para fora da casa: “Eu pensei que ele iria falar comigo, nunca passou pela minha cabeça que ele iria bater em mim”.

Ela relata ter sofrido puxões de cabelo e que o homem chegou a dar uma rasteira nela e chutar suas costelas.

AGRESSÃO QUASE DEIXOU VÍTIMA PARAPLÉGICA

Depois das agressões, Andreza foi levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e, então, transferida para o Hospital da Restauração, no Recife.

A família da jovem relata que os médicos apontaram para uma fratura na coluna dela, com o risco de perder os movimentos do corpo. Irmã de Andreza, a cabeleireira Ana Gomes descreveu o sentimento de receber essa notícia.

“O que ele fez com a minha irmã, eu quero que ele pague. Porque eu tô cansada de ouvir relatos aí do que acontece e eu não quero que minha irmã seja a próxima”, disse, emocionada.

A cunhada da vítima tentou socorrer a jovem ao presenciar a agressão. Ela diz que o homem só parou de bater em Andreza quando os vizinhos gritaram.

Veja também:   Lula aponta com 47% e Bolsonaro com 28%

“Ele só esperou ela dar as costas e começou o espancamento — na cabeça, nas costelas — e gritava o tempo todo ‘eu vou matar vocês duas'”, disse a mulher, que preferiu não se identificar.

ADVOGADOS ACREDITAM EM TENTATIVA DE FEMINICÍDIO

Um boletim de ocorrência foi registrado na polícia, inicialmente como ameaça e lesão corporal. Os advogados da dona de casa acreditam, no entanto, que ela foi vítima de uma tentativa de feminicídio.

“Eles vão fazer a ouvida dela e, aí, vão encaminhar ao juiz para que ele analise os fatos e decida se vai permanecer como lesão corporal ou avançar para uma tentativa de feminicídio”, declarou a advogada Bárbara Alexia.

Andreza também solicitou uma medida protetiva contra o vizinho.