Mulher é estuprada após ser deixada por motorista de aplicativo desacordada na rua

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Por Folha de Pernambuco

Uma jovem de 22 anos foi estuprada após ser deixada embriagada, por um motorista de aplicativo, na rua de casa. O crime foi cometido por um homem que encontrou a mulher na calçada.

O caso aconteceu na madrugada do domingo (30), no bairro de Santo André, em Belo Horizonte, após a vítima voltar do show de Thiaguinho, no Mineirão.

Segundo relatos da família da jovem, após sair do evento, um amigo chamou um carro de aplicativo da empresa 99 para que ela voltasse para casa sozinha, e compartilhou a viagem com o irmão da vítima.

Veja também:   Há rumo para oposição não encolher em ST

Ao chegar no endereço, o motorista pediu a ajuda de um motociclista para tirar a mulher do carro. Ela estava inconsciente e foi deixada na calçada, encostada em um poste.

Câmeras de segurança registraram toda a ação e o momento em que o motorista tenta tocar o interfone da residência e vai embora, por volta das 3h17, sem que ninguém tenha aparecido para receber a mulher.

Sete minutos depois, às 3h24, um homem, de 47 anos, que não teve o nome divulgado, surge na rua. Ele vai até a jovem e a carrega nos ombros por mais de 15 minutos até um campo de futebol.

Veja também:   Vacina da Johnson em dose única é aprovada pela Anvisa

Uma outra câmera de segurança flagra o suspeito saindo sozinho do campo às 7h08. A jovem foi encontrada por moradores da região horas depois. Ela estava seminua.

Na presença de parentes, a jovem foi até o Hospital Odilon Behrens, e, após passar por exames, foi constatado que ela havia sofrido abuso sexual. A vítima foi encaminhada para a Delegacia de Plantão de Atendimento à Mulher, onde formalizou o estupro.

Graças às imagens, a polícia conseguiu identificar o suspeito, que foi preso ainda na noite do domingo (30). Ele prestou depoimento e foi autuado em flagrante por estupro.

Veja também:   NO RÁDIO: Farol de Notícias conversa com Sebastião Oliveira e vai ao Ipsep neste sábado

Os familiares da vítima afirmam que o irmão da jovem dormiu antes dela chegar e, por esse motivo, não acompanhou o trajeto e chegada da mulher em casa.

Ainda de acordo com os familiares, a vítima não é usuária de drogas, mas eles acreditam que, além de alcoolizada, ela pode ter sido dopada, devido ao estado em que estava.

Por meio de nota, a empresa “99”, responsável pelo aplicativo de transporte, informou que “lamenta o ocorrido após a conclusão da corrida” e que fez o bloqueio preventivo do motorista. A empresa disse estar à disposição para colaborar com a investigação.