'Novela' dos professores em ST se arrasta sem definição

Publicado às 04h15 desta quinta-feira (13)

A luta dos professores de Serra Talhada pela aprovação do Projeto de Lei que garante o reajuste de 14,95% nos rendimentos mensais da categoria continua.

Após a Câmara de Vereadores informar que o projeto não entrou na pauta da última sessão ordinária, nesta terça (11), por orientação do Promotor de Justiça, Vandeci Leite, a Associação de Professores de Serra Talhada (Aprost) e demais servidores procuraram a Promotoria para entender a situação.

De acordo com o o Presidente da Aprost, o professor Carlos Antônio, em contato com o Farol de Notícias, explicou que o promotor emitiu na última conclusão do Relatório emitido pelo Ministério Público de Pernambuco respaldando a aprovação do Projeto de Lei Complementar n° 026/2023, que reajusta o Salário dos Professores de Serra Talhada.

Veja também:   MISS PERNAMBUCO: Recife ganha o título, mas Serra Talhada ocupa o topo da lista

'Novela' dos professores em ST se arrasta sem definição

“O que eu coloquei é o que de fato a Associação dos Professores de Serra Talhada defende. Houve esses contratempos, falha na comunicação, tentativa de distorcer as tabelas que estão no Projeto de Lei. A gente vem lutando para que o que foi acordado seja cumprido e o município honre o acordo que foi selado na negociação”, comentou o sindicalista, reforçando:

“Já conversamos com os vereadores e temos certeza que as distorções que houverem nesse projeto eles farão as correções durante a semana que estarão reunidos coma Comissão de Justiça e Educação e a gente confia que serão ajustados, lido e aprovado aquilo que foi acordado. Pelo contrário a categoria estará mobilizada com protestos online e nas ruas, mas esperamos que não”.

Veja também:   Incêndio atinge casarão no Centro Histórico

CONFIRA O RELATÓRIO NA ÍNTEGRA (CLIQUE AQUI)

Projeto dos professores não entra e cria polêmica na Câmara de ST