Do UOL

Núbia Óliiver é investigada pela Polícia Federal por suposta associação ao tráfico internacional de mulheres. Segundo informações divulgadas neste domingo (2), os investigadores afirmam que a modelo auxiliava no processo de seleção das mulheres que foram traficadas pela quadrilha.

“Te passei umas meninas aí para te ligarem. Essas eu sei que são do Rio [de Janeiro]”, afirmou a modelo em conversa com Rodrigo Cotait, apontado pela polícia como o chefe do esquema de exploração sexual. “Você acha que R$ 10 mil a gente consegue cobrar? Aí a gente dá R$ 5 mil para ela e divide R$ 5 mil”, indagou o acusado.

Em seguida, nos áudios divulgados em reportagem do Fantástico, Núbia pediu para não ser citada nominalmente nas negociações: “Só não usa meu nome, porque como a gente é mais conhecida, não gera fofoca, enfim”.

Durante a Operação Harém BR, a Justiça autorizou um mandado de busca e apreensão no apartamento da modelo. No começo da última semana, Rodrigo foi preso no seu apartamento, em São Paulo (SP).

Para o Fantástico, a defesa de Núbia informou que não deseja se manifestar sobre o caso. Os advogados de Rodrigo afirmaram que ele foi alvo de “ilegal mandado de prisão” e que confiam na Justiça brasileira, pois esperam que “essa injustiça seja reparada o mais breve possível”. O Notícias da TV também entrou em contato com a defesa dos acusados, mas não obteve retorno até a publicação deste texto.