Do Diario de Pernambuco 

O papa Francisco nomeou nesta quinta-feira (4) Raffaella Petrini como secretária-geral do Governatorato do Vaticano, a primeira vez que uma mulher tem acesso a este cargo de responsabilidade na história da Igreja.

A italiana Raffaella Petrini, uma freira franciscana de 52 anos, será a responsável pela gestão administrativa dos museus do Vaticano, da agência dos correios e da polícia.
O jornal digital americano The National Catholic Reporter indicou que este cargo era tradicionalmente ostentado por bispos.
O pontífice busca com essa nomeação alcançar uma maior igualdade dentro da Igreja.
Em janeiro, Francisco, de 84 anos, alterou a lei para permitir que as mulheres possam ler a Bíblia na missa, dar a comunhão e ajudar no altar durante a liturgia.
Um mês depois, o papa nomeou a freira francesa Nathalie Becquart subsecretária del sínodo dos bispos, tornando-se de fato a primeira mulher da história a ter direito ao voto neste tipo de reunião (que aborda as principais questões da doutrina da Igreja).
Desde que o sumo pontífice criou em 2016 uma comissão para estudar a história das mulheres diáconos nos primeiros anos da Igreja católica, os grupos reformistas mantêm a esperança de que possa haver mulheres ocupando a função dos padres algum dia.
No entanto, até o momento, o papa não abriu a porta para que possam ser ordenadas a essa função.
Veja também:   Cresce suspeita de elo entre hepatite misteriosa e Covid-19