Da ISTOÉ

Foto: Reprodução/redes sociais

Victoria Brignell, residente de Londres, na Inglaterra, é tetraplégica e por isso tem paralisia do pescoço para baixo. Recentemente, ela passou por uma situação desagradável ao ficar mais de uma hora e meia sozinha dentro de um avião. Devido à grande repercussão, o aeroporto de Gatwick, localizado na capital inglesa, enviou um pedido de desculpas. As informações são do O Globo.

Victoria disse que, no primeiro momento, foi informada de que teria de esperar no avião por 50 minutos para que uma equipe viesse ajudá-la a desembarcar.

No entanto, ninguém apareceu e ela teve de esperar por mais tempo. “Pouco após o pouso, a equipe da companhia aérea da BA veio até mim e disse que sentia muito, mas as pessoas que deveriam me ajudar a sair do avião não estariam lá por 50 minutos. O tempo passou e me disseram que seria mais meia hora em cima disso. No final, eu esperei uma hora e 35 minuto”, relatou.

Victoria frisou que contratou o serviço de auxílio ao deficiente com três meses de antecedência e relembrou a companhia aérea duas semanas antes de viajar.

Por conta da espera dentro do avião, Victoria não pôde usar o banheiro.

“Não posso usar meus braços ou pernas. Para sair de um avião, preciso de duas pessoas para me levantar do assento em uma cadeira de corredor, que é uma cadeira de rodas estreita especialmente projetada para me empurrar ao longo do corredor do avião, e me colocar na minha cadeira de rodas do lado de fora”, explicou.

Depois de todo transtorno, um porta-voz do aeroporto de Gatwick afirmou que o tratamento recebido por Victoria foi “inaceitável e gostaria de oferecer nossas sinceras desculpas”.

Veja também:   Concursos e seleções abrem 4.574 vagas de emprego em Pernambuco