Do NE10-Interior

Foto: SECOM

Nesta segunda-feira (4), começam as campanhas nacionais de vacinação contra influenza e sarampo. Ambas seguem até 3 de junho, com o Dia D de mobilização social marcado para o dia 30 de abril. Para as duas campanhas, haverá grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde (MS).

Em Pernambuco, o objetivo é imunizar pelo menos 95% dos grupos elegíveis para sarampo e 90% para gripe.

Campanha contra gripe

Entre 4 de abril e 2 de maio é realizada a primeira etapa da campanha contra gripe. Serão contemplados idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde.

Já na segunda fase, de 2 de maio a 3 de junho, poderão receber a vacina crianças de 6 meses a 4 anos, gestantes, puérperas, professores do ensino básico e superior, pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente.

Ainda na segunda fase, também serão contemplados:

Caminhoneiros
Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso
Trabalhadores portuários
Profissionais das forças de segurança e salvamento e das forças armadas
Funcionários do sistema prisional
População privada de liberdade e adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas.

É importante destacar que a vacina não protege contra a infecção pelo coronavírus, mas sim contra as três cepas da influenza: H1N1, H3N2, incluindo a cepa Darwin, e tipo B.

Campanha contra sarampo

A primeira etapa da campanha contra o sarampo acontecerá entre os dias 4 e 30 de abril e será voltada para os trabalhadores da saúde entre 18 e 59 anos. Já a segunda fase, de 2 de maio a 3 de junho, contemplará crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

É importante destacar que a imunização das crianças deve cumprir um intervalo de 15 dias (antes ou depois) entre a vacina contra a covid-19. Já para os adultos e idosos, não há nenhum tipo de restrição.

Veja também:   Quem recebe a parcela extra do Auxílio Brasil

Quais os documentos é preciso levar para se vacinar?

A Secretaria de Saúde do Recife recomenda que as pessoas levem um documento de identificação, a carteira de vacinação e o cartão SUS. Parte do público-alvo precisa apresentar também documentos que comprovem a necessidade da imunização.