Pode ou não segurar o espirro? Médicos tiram a dúvida

Foto: Freepik

Por Folha de Pernambuco

Por uma questão de “bons modos”, muitas pessoas tentam segurar espirros. Contra este hábito, há quem diga que segurar um espirro pode entupir uma veia do coração e levar a morte. Seria isso um exagero ou uma crendice? Muitos acreditam que esta fala é excessiva e alarmante, porém, ela está certa.

Cientistas estimam que um espirro, quando bem dado — aqueles que a gente sente até o nariz desentupindo — pode chegar a 160 km/h. Ele tem como principal função eliminar possíveis partículas que irritam o sistema respiratório. Por isso dá aquela vontade de espirrar quando sentimos algum cheiro de perfume estranho ou mais forte, ou quando sentimos a poeira entrando no nosso nariz.

Veja também:   Estudante acusa fotógrafo por estupro

Se fecharmos a boca e o nariz na hora de espirrar, essa velocidade fica presa gerando uma pressão muito forte dentro do nosso organismo podendo causar diversos danos a diferentes partes do corpo. Os tímpanos podem sofrer lesões, pessoas com osteoporose podem fraturar costelas e, nos casos de pessoas com condições propícias, pode acontecer até mesmo um acidente vascular cerebral (AVC).

Especialistas dizem que para espirrar corretamente devemos manter a boca aberta e não tapar o fluxo de ar.

Quanto ao barulho, uns são mais altos do que outros, e isso não é um problema. O fato é que aquelas que tendem a ter um espirro mais alto são mais propensas a prenderem o espirro porque sofreram retaliações de pessoas próximas durante toda a sua vida.

Veja também:   Flordelis e nove acusados pela morte de pastor vão a júri popular

Durante a pandemia de Covid-19 muito se ensinou sobre a maneira “correta” de espirrar. Os especialistas orientam que, ao espirrar, a pessoa deve colocar a dobra do braço com o antebraço na frente da boca e do nariz, mas sem tapar. Isso evita espalhar vírus para outras pessoas e ainda ajuda a abafar o som do espirro.