Policia acredita que morte de jovem em ST aconteceu 3 dias antes
Delegado da 177 Circunscrição de Polícia Civil de Serra Talhada – Assis Moreira

O delegado municipal, Assis Moreira, afirmou que o principal suspeito pela morte bárbara, com requintes de crueldade, da jovem Alexandra Carla, de 19 anos, está entre os homens detidos nesta manhã [relembre a morte].

Em entrevista de rádio, o responsável pelo caso deu detalhes sobre a linha de investigação que a Polícia Civil vem seguindo.

Ele adiantou que tudo leva a crer que a morte contou com ajuda de outras pessoas, que também estariam envolvidos na desova do corpo de Alexandra próximo ao Hospital Eduardo Campos (HEC).

“Percebemos que não houve a participação de uma só pessoa, não tinha como uma pessoa carregar um corpo de um local onde ocorreu o homicídio e desova-lo naquele local, de antemão, tudo indica que aquele local é desova”.

Veja também:   MEMES DO FAROL: Comemorando dia da árvore; confira a estreia do novo quadro

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão (clique aqui)

De acordo com o delegado Assis Moreira, com base em conversas preliminares com peritos, é possível que o crime contra a jovem tenha ocorrido de dois a três dias antes de ser encontrado.

Na operação deflagrada hoje, intitulada Iscariotes [relembre], o delegado acredita que tenha pego o principal suspeito de arquitetar e executar o crime brutal.

Alexandra estaria grávida de três meses, segundo relataram familiares à polícia. Além de carbonizada, o corpo dela exibia sinais de estrangulamento com um fio.

Além disso, as pernas da vítima teria sido quebradas para que ela coubesse dentro de um tambor e assim desovada próximo ao Hospital Agamenon Magalhães.

Veja também:   Márcia anuncia abertura do curso de Medicina em ST

“Nós estamos numa linha bem avançada [de investigação], e pelo elementos informativos que temos, que apuramos e que colhemos, o principal suspeito está detido”, frisou Assis Moreira, reforçando:

“Sustento isso, não foi uma só pessoa que fez esse bárbaro crime contra essa jovem”. O delegado municipal aproveitou para divulgar o número da Polícia Civil para denúncias anônimas.

Para quem quiser entrar entrar em contato sem se identificar, ligue (WhatsApp) – (87) 8877-2206.

REPÚDIO E PEDIDO DE JUSTIÇA

O deputado estadual Luciano Duque e presidente da Fundação Cabras de Lampião, Cleonice Maria, emitiram nota cobrando respostas das autoridades diante a barbaridade do crime contra Alexandra.

“A justiça precisa agir o mais rápido possível. Até quando casos como o de Alessandra acontecerão? Até quando vida serão ceifadas pelo simples fato de ser mulher? As políticas públicas de enfrentamento a violência contra a mulher precisam ser mais ampliadas e efetivas”, disse o deputado estadual Luciano Duque [relembre a matéria completa].

Veja também:   Ladrão devolve cavalo furtado após ver sofrimento de criança em no interior de SP

“Nós, mulheres, estamos expostas a violência que por sinal vem se tornando rotina em Serra Talhada. Precisa se ter um olhar voltado para que se desenvolva políticas públicas sérias no sentido de fazer com que de fato a gente se sinta protegida e barrar esses índices. Estão nos matando e nos agredindo simplesmente por sermos mulheres e isso precisa acabar. O caso da Alexandra Carla essa jovem de apenas 19 anos não pode ser banalizado”, alertou Cleonice [leia o texto completo].