Posso receber o Bolsa Família se estiver desempregado?
Posso receber o Bolsa Família se estiver desempregado? Foto: Canva.

Por Notícias e Concursos

Será que posso receber o Bolsa Família se estiver desempregado? Essa é uma dúvida comum no dia a dia de milhões de brasileiros. Por conta disso, preparamos este conteúdo com informações detalhadas para você entender, de uma vez por todas, como funciona o Bolsa Família nesse tipo de situação. Acompanhe e tire as suas dúvidas!

Posso receber o Bolsa Família se estiver desempregado?

Sim, é possível receber o Bolsa Família se estiver desempregado. Até porque a ideia do programa é justamente oferecer subsídios financeiros para que brasileiros em situação de vulnerabilidade socioeconômica tenham algum tipo de suporte para lidar com os custos de vida.

Sendo assim, não existe nenhuma regra que impeça uma pessoa desempregada de receber os pagamentos mensais, pelo contrário! O que existe é o limite de renda para ser elegível ao programa, e não o contrário.

Veja também:   Calendário do bolsa família paga bônus de R$ 300 + R$ 50 para quem cumprir estes requisitos

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Se a sua família tem uma renda per capita que está dentro dos valores estipulados no Bolsa Família, não haverá nenhum impeditivo de recebimento. Em contrapartida, se existir alguma fonte de renda, ou algumas fontes de renda, que façam com que a renda por pessoa fique fora da regra do programa, aí sim não será possível receber.

Lembrando que é importante seguir as regras do programa para receber o benefício, seja você um cidadão desempregado ou não.

Quem não pode receber o Bolsa Família?

Se você sempre se perguntou “posso receber o Bolsa Família se estiver desempregado?”, vimos que é possível, sim, fazer parte do programa, apesar do desemprego. Entretanto, o contrário nem sempre acontece.

Veja também:   Bolsa Família de dezembro tem mega novidade e empolga quem recebe

Embora algumas famílias com empregos possam estar elegíveis para o programa Bolsa Família, nem todas atenderão a um requisito importante: a renda máxima por pessoa.

No momento, a renda máxima que vem sendo usada como critério é de R$ 218 por pessoa. Para saber se a sua família é elegível com base nesta regra, basta somar toda a fonte de renda bruta da sua família e, em seguida, dividir pelo número de membros do núcleo familiar.

Os principais fatos de Serra Talhada e região no Farol de Notícias pelo Instagram (clique aqui)

Se a divisão for menor que R$ 218 por pessoa, vocês estarão dentro do valor máximo de renda do programa. Porém, se o valor for acima de R$ 218, sua família não será elegível.

Outro ponto importante, que vale destacar, é que apesar de o limite de renda existir, não existe uma renda mínima. Por isso, mesmo que uma pessoa não tenha emprego e não tenha fonte de renda no momento, ela poderá se cadastrar no Bolsa Família para receber o benefício. Desde que, claro, ela passe por um processo de aprovação.

Veja também:   Como sacar o bolsa família sem cartão? saiba como resgatar seu benefício

Nesse processo, a equipe responsável do CRAS irá avaliar todas as informações apresentadas pelo titular, além de verificar os documentos que forem entregues. Se tudo estiver correto e dentro das regras, a família poderá receber o Bolsa Família.

Lembrando, ainda, que em algumas cidades pode existir uma espécie de “fila de espera”. Isso quer dizer que algumas famílias, apesar de elegíveis, podem ter que aguardar por um tempo para começar a receber o benefício. Informe-se quanto a isso para não ter dúvidas do seu caso.