Prefeito japonês renuncia por 99 casos de suposto assédio sexual
Hideo Kojima enxugando as lágrimas enquanto fala em uma entrevista coletiva na cidade de Ginan, província de Gifu – Foto: AFP

Por Folha de Pernambuco

O prefeito de uma pequena cidade do centro do Japão apresentou na quinta-feira sua renúncia devido a uma investigação independente que o acusa em 99 supostos casos de assédio sexual.

Hideo Kojima, 74 anos, negou algumas acusações, que incluem toques, comentários inapropriados e pedidos de caráter sexual a funcionárias da administração de Ginan, um município da região de Gifu.

O prefeito foi acusado de tocar nos seios e nádegas de trabalhadoras ou dar tapinhas em suas cabeças, um gesto que ele tentou justificar como “gratidão”.

Veja também:   Jovem é agredida na cabeça com madeira após crítica a Bolsonaro em bar

Além disso, segundo as denúncias, ele “exibia as pernas ao arregaçar as calças” e pedia que as funcionárias tocassem em seu corpo.

A investigação independente teve origem após uma informação publicada na revista Shukan Bunshun, mas até o momento nenhum processo judicial foi aberto contra ele.