Publicado às 21h50 desta sexta-feira (22)

As mulheres rurais em situação de violência em Serra Talhada e todo o estado de Pernambuco terão o importante suporte do aplicativo Lamparina, um instrumento que faz parte do projeto de mesmo nome, coordenado pelas professoras Lorena Moraes e Suzana Sampaio, ambas da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Na próxima terça-feira (26) terá o lançamento oficial no anfiteatro Padre Afonso Carvalho, na UAST, a partir das 19h.

A solução tecnológica foi criada para tentar diminuir o isolamento socioespacial de mulheres rurais em situação de violência. A iniciativa conta com o financiamento da Facepe, por meio do Edital Inovação Inclusiva – Soluções Tecnológicas e Tecnologia Inclusiva e com parceria institucional da Casa da Mulher do Nordeste e da Fetape.

Em conversa com a reportagem do Farol de Notícias, a socióloga e professora da UFRPE-UAST, Lorena Moraes explicou que após o lançamento virtual pelas redes sociais do Grupo de Estudos em Gênero e Sexualidade da UFRPE-UAST, Grupo Dadá, será feito uma agenda presencial com as mulheres rurais de Serra Talhada e região para apresentar a proposta e as ferramentas que já estão disponíveis no app.

“O aplicativo vai disponibilizar três funcionalidades, uma delas já está funcionando. A primeira é uma coleta de dados do perfil das mulheres, se já sofreram violência, perguntas sobre violência e o mapeamento das cidades de onde são, há um serviço que disponibiliza os contatos da rede de proteção no município dela”, disse a docente, acrescentando:

“Terá o botão de pânico para se a mulher tiver em uma situação de violência imediata. E o botão aciona os contatos de confiança que ela vai cadastrar no app, e o outro serviço é o contato das mulheres profissionais de psicologia e advocacia. Estamos concluindo esses dois últimos passos, até o final de maio ou início de junho deve estar pronto”.

Veja também:   Calumbi convoca mais de 100 candidatos selecionados

TIRANDO AS MULHERES RURAIS DO ISOLAMENTO

Pesquisas apontam que a violência contra as mulheres é um problema de saúde pública, porém ainda são incipientes os dados sobre a violência contra as mulheres rurais. Sejam elas camponesas, ribeirinhas, quilombolas, indígenas, de comunidades de fundo de pasto, extrativistas, pescadoras, etc.

Após o lançamento na Unidade Acadêmica de Serra Talhada, na quarta-feira (27) será lançado com as mulheres rurais na Fetape. No dia 30, o evento irá para Mirandiba, na comunidade do Feijão. Lorena enfatizou que em maio o Projeto Lamparina irá para Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde.