Publicado àS 06h34 deste sábado (19)

A partir da “Lei Mater dos Químicos”, que criou os Conselhos Federais e Regionais de Química e regulamentou a profissão, sancionada por Juscelino Kubitschek em 18 de junho de 1959, passou a ser comemorado o Dia do Químico, profissional de extrema relevância para sociedade principalmente nesse contexto pandêmico, visto que atuam em setores de enfrentamento à Covid-19, por isso, o Farol presta homenagem aos químicos e traz a trajetória de uma das profissionais da área mais conceituada da Capital do Xaxado, Andrea Lina.

A serra-talhadense Andrea Karla Lina e Silva, 45 anos, moradora do bairro  Ipsep, possui duas graduações relacionadas à Química. Concluiu a graduação em Química Industrial há 20 anos pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e há 3 anos formou-se em Licenciatura em Química pela Faculdade Germário Dantas.

Nos anos finais da graduação em Química Industrial, Andrea abriu uma fábrica de produtos de limpeza e logo após a formatura, foi convidada para trabalhar, no recém-criado, Controle de Qualidade da Tambaú, em Custódia-PE. Onde adquiriu uma experiência grandiosa e aprendeu os procedimentos de qualidade sanitária para fabricação de alimentos. Após certo tempo, voltou para Serra Talhada, ingressou na docência lecionando em escolas privadas e logo se encantou pela sala de aula.

Trabalhou ministrando aulas de várias disciplinas voltadas para a Química no antigo Centro Tecnológico e sobre processos de qualidade e segurança nos cursos de Zootecnia, Agroindústria e a paixão pela docência só crescia. Há 3 anos, oficializou a união das suas duas paixões: a Química e a docência, com a Licenciatura em Química através da Complementação Pedagógica. Hoje, leciona como concursada na rede pública estadual e ainda trabalha com Representação Técnica na área da Química Industrial.

Veja também:   Vizinho denuncia Antonio do Caldo de Cana por barulho em Serra Talhada

”Quando retornei da Tambaú, embora ainda tivesse a fábrica de produtos de limpeza, sentia a necessidade de mostrar as outras pessoas como a Química é fantástica e a sala de aula é o melhor espaço para isso, na minha opinião. Na época, estavam fazendo uma seleção para o Colégio de Aplicação e eu entrei. Como filha de educador, fui avisada dos desafios que enfrentaria, mas em pouco tempo a paixão já tinha me tomado por completo e eu senti que esse é o meu lugar,” afirmou a docente.

POPULAÇÃO NÃO ENTENDE

Apesar de o químico ser um  profissional atuante em diversos campos fundamentais para a sociedade, Andrea Lina reforça essa importância, porém relembra que, infelizmente, a população não entende e isso reflete na não valorização do profissional, principalmente quando atuam na educação. Também elencou uma série de áreas que o químico atua, inclusive setores essenciais no combate à Covid-19.

”A sociedade não consegue entender e por consequência, valorizar as ações diversas dos Químicos. Hoje, estamos inseridos na medicina com desenvolvimentos de fármacos e exames de imagem, tratamentos de doenças crônicas, na indústria de alimentos e sintéticos, nas Ciências Forenses e Ambientais, no desenvolvimento de energias e no desenvolvimento de pesquisas para a explicação de fenômenos, nos procedimentos de qualidade sanitária, como temos visto agora nesse período pandêmico, entre outras tantas ações. No entendimento popular me parece que ficamos entendidos somente como docentes do ensino de Química, o que não é pouco nem menos importante que todo o mais. Pelo contrário, é sempre na sala de aula que tudo começa”, destacou.

Mesmo diante da falta de reconhecimento profissional, Andrea incentiva os colegas de profissão afirmando: ”devemos persistir e mostrar nossa ciência a essa sociedade que ainda não enxerga a necessidade da nossa ação profissional. Desejo que nunca percamos o brilho nos olhos. Eu fui muito criticada quando sai de Serra Talhada para estudar Química Industrial na Paraíba, mas hoje eu sei que faria tudo de novo.”

Veja também:   Antônio do Caldo de Cana sofre reviravolta

Encantar seus alunos na aérea da Química é uma das ações diárias da docente, segundo ela, o bastante para desejarem ingressar em algum curso que seja voltado para Química, sobretudo após a Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST) passar a ofertas o curso de Licenciatura em Química.