Rebatendo acusações, Marino Abreu assegura isenção para conselheiros de baixa renda do Santa

Foto: Diego Borges/Santa Cruz Futebol Clube (SCFC)

Por Folha de Pernambuco

Após conseguir efeito suspensivo e retornar à presidência do Conselho Deliberativo do Santa Cruz, Marino Abreu se pronunciou, nesta terça-feira (8), pela primeira vez desde que reassumiu o cargo. Através de um ofício, o mandatário rebateu acusações feitas durante sua ausência, além de assegurar a isenção para conselheiros de baixa renda.

Enquanto Marino esteve ausente das atividades, Ricardo de Paula era quem estava atuando como interventor judicial. Durante o período, o aliado do presidente Antônio Luiz Neto determinou a expulsão daqueles conselheiros que não estavam contribuindo financeiramente dentro do Santa Cruz. Decisão que ia contra o próprio estatuto do clube.

Veja também:   Da Lua ao Sol, Índia lança nova missão espacial

“Torno, desde já, sem efeito qualquer determinação contrária sobre o referido tópico, declarando, portanto, que seguem sendo facultados os pagamentos de contribuições por parte dos Conselheiros Eleitos”, afirma Abreu em parte do ofício.

Ainda segundo Marino Abreu, “é de importante menção que o caráter facultativo das contribuições não exclui da continuidade dos recolhimentos daqueles que reúnem tal condição, sendo de suma importância para custeio dos pagamentos dos funcionários, manutenção do espaço, dentro outros custos ordinários e extraordinários”.

Para finalizar, o dirigente coral cobrou respeito aos poderes do clube. “Finaliza-se o presente instrumento afirmando que todas as determinações do plenário sempre foram e sempre serão amplamente respeitadas, preservando-se o contraditório, a urbanidade e às diretrizes democráticas que sempre pautaram as ações deste Conselho Deliberativo”.

Veja também:   Programação junina na Faz. São Miguel, Tauapiranga, Salgueiro, Floresta e Arcoverde