Risco de morte por insuficiência cardíaca pode ser maior para solteiros

Foto: Reprodução/ Freepik

Por Terra

Um novo estudo da Escola de Medicina da Universidade do Colorado em Aurora, nos Estados Unidos, mostrou que pessoas que se mantêm solteiras ao longo da vida podem estar em maior risco de morrer por insuficiência cardíaca quando comparadas com aquelas que são ou já foram casadas.

A insuficiência cardíaca é uma condição na qual o coração fica muito fraco ou rígido para bombear o sangue para o corpo de forma eficaz, causando falta de ar, fadiga e inchaço. É uma condição sem cura, mas que pode ser controlada com o uso de medicamentos, modificações na dieta e prática regular de atividade física.

Veja também:   Vereador do PT diz que Marcos Oliveira vai ajudar Luciano mesmo na oposição

Os pesquisadores analisaram dados de 6.800 adultos norte-americanos com idades entre 45 e 84 anos acompanhados por cinco anos. Eles descobriram que os homens que nunca foram casados tinham duas vezes mais chances de morrer dentro de aproximadamente cinco anos após o diagnóstico do que as mulheres de qualquer estado civil.

Os solteiros ao longo da vida tinham cerca de duas vezes mais chances de morrer do que os homens casados. Além disso, os homens viúvos, divorciados ou separados não apresentavam maior risco de morrer, em comparação com os homens casados.

Veja também:   Atento ao 'jogo de traição', Sebastião avisa: 'não vai ter espaço para os giletes'

A falta de diferença na sobrevivência entre mulheres com histórias conjugais diferentes pode indicar que os mesmos fatores não são tão clinicamente benéficos nas mulheres ou possivelmente que há menos déficits nas características afetadas pelo casamento.

Fonte: American College of Cardiology (ACC) Scientific Session/World Congress of Cardiology (WCC) 2023.